A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Abril de 2019

27/03/2019 10:03

Obras na Bandeirantes devem ficar para segunda quinzena de abril

O contrato para a execução, de R$ 8,1 milhões, integra o pacote do corredor sudoeste - antes nas mãos do Exército

Viviane Oliveira
Asfalto da Avenida Bandeirantes cheio de ondulações em razão dos remendos ao longo dos anos (Foto: Kísie Ainoã).Asfalto da Avenida Bandeirantes cheio de ondulações em razão dos remendos ao longo dos anos (Foto: Kísie Ainoã).

As obras de recapeamento na Avenida Bandeirantes, em Campo Grande, sob responsabilidade da Engepar, devem começar na 2ª quinzena de abril. Segundo a nota encaminhada pela Prefeitura, a ordem de serviço para a obra de recapeamento será assinada no fim de semana. “A partir daí, a empresa tem até 15 dias para instalar o canteiro de obras e iniciar o serviço”, diz o texto.

Cheio de remendos, o asfalto tem nivelações que tornam difícil o tráfego por quase toda extensão da Avenida Bandeirantes, que começa na altura do terminal de mesmo nome, até a Avenida Afonso Pena. Os comerciantes da região afirmam que a intervenção é necessária e bem vinda, mas querem que seja rápida, para não atrapalhar os negócios.

No último sábado (23), o prefeito Marquinhos Trad (PSD), havia dito que a obra estava prevista para começar nesta semana. Questionada, a assessoria de imprensa da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos) respondeu que, embora fisicamente a obra não tenha sido iniciada, os técnicos estão trabalhando no processo prévio de preparação para a execução propriamente dita.

"Estão sendo feitas reuniões com técnicos das concessionárias de serviços de telefonia, água, esgoto, gás natural, para que as intervenções nas redes sejam feitas antes ou de forma simultânea com o andamento das obras. Outro trabalho já em andamento é o mapeamento do subsolo da região para evitar (ou mitigar) eventuais danos no cabeamento, adutoras, ao longo do processo de perfuração de valetas para implantação da rede de drenagem. Estão sendo feitos os últimos ajustes burocráticos para assinatura da ordem de serviço", diz a nota. 

O contrato para a execução, de R$ 8,1 milhões, integra o pacote do corredor sudoeste – antes nas mãos do Exército -, e totaliza 4 km. Os recursos são do PAC II (Programa de Aceleração do Crescimento) e o contrato foi avaliado pela Caixa Econômica Federal. O Exército, contratado durante a gestão de Alcides Bernal, é responsável apenas pelas obras na Rua Brilhante. O projeto do corredor sudoeste contempla, ainda, a Rua Guia Lopes e a Marechal Deodoro. O corredor foi dividido em lotes, que serão licitados. O próximo, segundo a prefeitura, é o lote que compreende a Marechal Deodoro.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions