A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

04/08/2011 17:58

Ônibus devem ficar mais seguros com fim da tarifa em dinheiro

Paula Maciulevicius

Campo-grandenses afirmam que medida dá maior segurança contra assaltos dentros dos ônibus, mas usuários acabam expostos nos pontos de parada

Usuários vão ter que se adaptar a medida. Até o final do ano todas as linhas estarão funcionando apenas com cartão. (Foto: João Garrigó)Usuários vão ter que se adaptar a medida. Até o final do ano todas as linhas estarão funcionando apenas com cartão. (Foto: João Garrigó)

A pouco mais de 20 dias para a obrigatoriedade do uso do cartão dentro dos ônibus na Capital, a população acredita que a medida tomada principalmente para coibir assaltos dentro dos veículos, vai dar mais segurança, mas usuários podem ficar expostos à ação externa, em pontos de parada e espera. O pagamento da tarifa somente com o cartão começa a valer a partir do aniversário da cidade, dia 26 de agosto.

As opiniões são diferentes, mas a medida dá sensação de mais segurança aos motoristas de ônibus, principais vítimas da ação dos bandidos. “Vai ser pior para nós, eles vão entrar para roubar os passageiros”, supõe a diarista Silvana Nunes da Silva, de 35 anos. Sem a circulação de dinheiro, a grande parte dos campo-grandenses concorda em um aspecto, os ladrões vão ter que buscar outra alternativa para agir.

Enquanto espera o ônibus no ponto da BR-262, próximo ao Cidade Jardim, para voltar para casa, na Vila Piratininga, Silvana conta que soube da obrigatoriedade do cartão no dia em que o motorista do ônibus foi assaltado. “Ele que falou: ainda bem que vai acabar isso do dinheiro.”

No mesmo ponto, a doméstica Gislaine Aparecida Costa, de 25 anos, responde “Cartão? Que eu saiba não. Vai ser obrigado é?” pergunta. Ela diz que pode até melhorar, mas que vai exigir mais atenção para não deixar o cartão descarregado. Outra preucação a partir de agora é no trasnporte de bens e pertences de valor.

Por mais prático que o cartão possa parecer, há os que discordam, como a dona Alzenira Ramos, de 59 anos.

Moradores do Noroeste usam dinheiro, por falta de local para carregar cartão. (Foto: João Garrigó)Moradores do Noroeste usam dinheiro, por falta de local para carregar cartão. (Foto: João Garrigó)

“Para a gente empregado até que é bom. Mas se vai usar para passeio, como que faz se está sem carga?” Quanto aos roubos, a cena de assaltos frequentes não deve diminuir. “Para o ladrão? Ah, para esse não tem jeito. Eles não vão roubar o motorista, mas não entrar e roubar a gente. Aí é só por Deus mesmo”, declara.

A dona Noélia dos Santos, 27 anos, trabalha como doméstica e admite, o cartão é o melhor meio para o uso do coletivo. “Fica mais prático, mas ainda acho que pode aumentar o número de assaltos sim. Não vai ter dinheiro com eles, mas ainda tem um pouco com a gente”, diz.

Na próxima semana a Assetur (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campo Grande) deve começar com campanha publicitária para informar os usuários da obrigatoriedade e informar dos benefícios da automação, que garante segurança e agilidade.

Segundo a Associação, a procura pelo cartão aumentou, mas não de forma significativa, o que está sendo esperado par as próximas semanas que antecedem a implementação do cartão magnético.

O cartão pode ser feito pela internet, através do site , nos terminais Peg Fácil, na Praça Ari Coelho, nos demais terminais de ônibus, da própria Assetur e em conveniências e drogarias conveniadas.

Mesmo com pontos espalhados pela cidade, uma região distante ainda sofre com a dificuldade de carregar. No Jardim Noroeste, por exemplo, a vendedora Camila de Oliveira, de 23 anos, conta que quando começar a funcionar mesmo, ou se carrega no centro ou precisa ir a pé até o bairro Tiradentes ou Maria Aparecida Pedrossian.

“Cartão é bom, mas é ruim ao mesmo tempo. É porque aqui não tem onde fazer precisa ir até onde dá para carregar, aí tem que ir a pé mesmo”, acrescenta. A Assetur, no entanto, dispõe de pontos de recarga em todos os terminais.

O esquecimento também é apontado como um problema que surge com a obrigatoriedade. Quem prefere o dinheiro sabe, que há mais chances de se distrair com o cartão do que com notas ou moedas. “E se esquecer o cartão? Vai fazer o que?”, questiona o estudante Pedro Ney, de 20 anos.

Como tudo que é novo demorar a “pegar”, muita gente ainda deve questionar, levanta Pedro. “A conscientização vai vir com o tempo. “Tudo que é novo demora para o povo se adaptar”, diz.

Assetur deve realizar campanha de esclarecimento a partir da próxima semana. (Foto: João Garrigó)Assetur deve realizar campanha de esclarecimento a partir da próxima semana. (Foto: João Garrigó)

Quanto aos assaltos, ele concorda que o uso é relativo. “Você usando o cartão tira o dinheiro do cobrador, mas não tira do povo. Ou a gente vai conseguir pagar uma conta, fazer compras com esse cartão? Não vai adiantar, essa é uma reivindicação deles, enquanto empresa, não pela gente”, finaliza.

Medida - Tentando diminuir o número de assaltos à ônibus do transporte coletivo urbano de Campo Grande, será iniciado no aniversário da cidade, 26 de Agosto, a execução de Plano de Ação para tornar obrigatório o uso do cartão magnético nos coletivos.

Segundo contabilização da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), cerca de 600 assaltos são registrados por ano aos ônibus coletivos. A entidade acredita que, com o fim do uso do dinheiro para pagar a passagem, esse número irá cair.

De acordo com o Plano de Ação, a medida começa no dia 26 de agosto com o uso obrigatório do cartão magnético nos 45 ônibus articulados e nas linhas 302 (Caiobá) e 319 (Dom Antônio Barbosa). A estimativa da Agetran é que essa primeira ação atenderá cerca de 45 mil usuários, o que representa 12% do total de passageiros do transporte coletivo na capital.

No dia 26 de outubro, dois meses após o início da implantação, o dinheiro não será mais aceito como pagamento da passagem nos ônibus que servem a linhas alimentadoras (azuis), o que abrangerá aproximadamente 200 ônibus.

A adoção total do sistema de cartão eletrônico, em todas as linhas e em todo o período de funcionamento do transporte coletivo urbano, deverá acontecer no dia 1º de Janeiro de 2012.

Uso obrigatório do cartão no transporte coletivo divide opinião de internautas
Enquete desta semana é sobre Reforma Política.A enquete do Campo Grande News a respito do uso obrigatório do cartão magnético nos ônibus do transpor...
Uso do cartão de passe poderá ser obrigatório no transporte coletivo da Capital
O transporte coletivo de Campo Grande não aceitará mais dinheiro nos ônibus a partir do dia 26 de agosto, quando é comemorado o aniversário da cidade...


Eu fico imaginando se acontecer de nós perdermos um cartão, quanto ficará o valor da 2ª via. EU NÃO VOU USAR CARTÃO.
 
Fabiano Bataglia Ribeiro em 05/08/2011 10:17:04
Pedro Telles, como que você fala de a pessoa esquecer de encher o tanque do carro se a matéria é sobre ônibus? Esses seus argumentos estão fora do contexto da matéria...
 
Gilson Rezende em 05/08/2011 09:50:52
Quem disse que nao pode acontecer de esquecer, perder ou nao recarregar... pode acontecer sim, voce provavelmente deve ser um cobrador de onibus por que se fosse usuario nao iria pensar dessa forma. Existem pessoas que nao são acostumadas a utilizar o meio de transporte coletivo e ai? Imprevistos acontecem, quem sabe se isso acontecer com você e o seu carro não funcionar e precisar de pegar um onibus 05:30 da manha sem ponto de venda de credito e sem dinheiro para ir de taxi? Tem que existir pontos de vendas em todo o comercio igual credito de celular. Afinal pagamos a tarifa mais cara do Brasil, e ainda querem exigir somente cartão!!! Um absurdo...
 
Cristiane Souza em 05/08/2011 08:59:31
A troca do dinheiro pelo cartão vai ser desastroso, vejamos os pontos negativos: o usuário que vier de outra cidade ou até mesmo outro estado, quando chegar nessa cidade como vai se locomover para chegar em seu destino, a pé, pois com dinheiro não vai se pagar a passagem, outro ponto negativo é o fato de possuírem poucos postos de recarga deste cartão, alguns bairros ainda não possuem esses serviços cabendo ao usuário carregá-lo somente no centro da cidade.
Diminuir a ladroagem vai ser difícil.....
 
Klaus Fantin em 05/08/2011 08:55:15
O `` PEDRO TELES``desde que muro segura bandido ,onde cerca elétrica segura ladrão!
VC acha que uma catraca vai segurar um assaltante tenha favor!

O pessoal do ônibus só quer tirar os ´´deles´´ da reta, só isso!eles não tão nem ai com população, quem vai ser assaltado dentro do ônibus ou no ponto de ônibus!
a perca de valores deles vai ser zero , é isso que eles conseguiram parabéns para eles!!!!
 
gilberto silva em 05/08/2011 08:51:39
É, Pedro, pra você, que provavelmente anda de carro é fácil afirmar. Vamos spor uma situação comum: moro no Nova Campo Grande, passei o cartão ao voltar da faculdade e o cartão zerou. No outro dia, se eu quiser ir de ônibus, tenho que ir até o terminal Júlio de Castilhos (a pé) para fazer a recarga (que são +/- 15km). Isso tem cabimento?
Na minha opinião, para diminuir os assaltos mesmo, seria aumentar a segurança da população, iluminar corretamente os bairros, aumentar o policiamento, e não tirar nossos direitos como cidadãos trabalhadores que infelizmente não utilizam o transporte coletivo porque querem, mas porque precisam. E o que eles estão fazendo agora é se livrando dos prejuízos de uma forma bonita, dizendo que vai ser masi ágil, mais prático, mais seguro...sendo que nós, que utilizamos o transporte público sabemos que na prática não é bem assim que funciona.
 
Thiago Mendes em 05/08/2011 08:40:18
seguro prá quem? só se for para as empresas,porq agora quem fica espostos com a bandidagem somos nois,os usuários.é brincadeira.
 
maira mendes em 05/08/2011 08:33:04
O ponto em questão continua sendo, ainda existem problemas como a demora em validar os créditos carregados em determinados locais, já tive que pagar novamente dentro do ônibus depois de carregar o cartão, e a Assetur até então não se pronuncia em resolver essa questão, imagina vc amigo leitor precisa sair de casa e usar ônibus de ultima hora ai carrega 2 passagens ida e volta no seu cartão, entra no coletivo "bate" o cartão na máquina e... Saldo Zerado, o motorista então vai te mandar descer???
Vamos acordar Assetur, vamos cobrar isso Agetran e prefeitura ai podemos afirmar que é um sistema ágil e seguro!
 
Oswaldo Benites em 05/08/2011 08:08:14
GOSTARIA QUE A AGETRAN SE MANIFESTASSE PUBLICAMENTE NO CASO DE OCORRER A SEGUINTE SITUAÇÃO : A PESSOA NÃO É DE CAMPO GRANDE E PRECISA DE TRANSPORTE NUMA DESSSAS REFERIDAS LINHAS QUE SÓ UTILIZE O "CARTÃO' ????? E AÍ ???? O CAMARADA SERÁ "CHUTADO" DO ÔNIBUS COMO ALGUNS MOTORISTAS GOSTARIAM DE FAZER ???
 
PAULO ROGERIO DIAS LESSA em 05/08/2011 08:03:21
a maioria dos usuários de ônibus são da classe,mais pobre da população,sendo assim tem que prevalecer a vontade dos empresários e politicos,pobre não tem vez,queria ver se quem usa-se ônibus fosse Advogados,engenheiros ou médico ou mesmo deputados se iam aceitar fazer com eles uma coisa destas,ou seja não aceitar pagamento em moeda nacional vigente no país e além disso fazer a pessoa caminhar quadras atrá de uns créditos ou de um cartão para se deslocar num onibus até o centro da cidade ou outro bairro.
 
antonio luis em 05/08/2011 07:49:34
estes dias atrás um bandido roubou um onibus da linha do bairro nova lima e roubou o motorista e uma bolsa da passageira que estava sentada naqueles bancos que ficam na frente próximo ao motorista.se for colocar só o uso do cartão que já é considerado crime não aceitar moeda corrente como forma de pagamento de acordo com a constituição então que não obrigue as pessoas a carregar seu cartão de créditos e que seja facilitada a venda em todos os bairros pois há pessoas que não utilizam o precário transporte coletivo da nossa capital.
 
antonio luis em 05/08/2011 07:41:34
Até concordo com uso do cartão. Mas e as pessoas que não são de Campo Grande, como vão fazer? Uma pessoa que chega de outra cidade ou estado, vai pegar um ônibus, não tem cartão, vai pagar a passagem e ai o motorista não vai aceitar? Essa é uma pergunta que tem que ser respondida rápida.
 
Paulo Cesar Ravaglia em 05/08/2011 07:28:57
Antes de criticar a medida, porque simplesmente não cobramos EFICIÊNCIA do governo do estado? A situação de violência em Campo Grande está a cada dia pior, temos que exigir mais policiamento por parte da PM, do governador, a coisa não pode permanecer assim. O cartão em si é uma medida boa, evita os assaltos. Mas os assaltos em si não são um poblema da prefeitura, o governo do Estado é quem precisa fazer algo urgentemente!
 
Michelle Portela em 05/08/2011 04:21:59
Usuários ocasionais de onibus, simplesmente não poderão mais andar de ônibus. Ganha a empresa, perde o cidadão. As empresas de ônibus deveriam convocar e organizar a população para participar de atos contra a impunidade no Brasil. Um bandido que rouba o cidadão simplesmente não fica preso, se é que é prisão, ficar alguns dias na cadeia. Assim que implantar estes cartões é que vamos ver o transtorno que vai causar. A ia me esquecendo: pessoas que vierem de visita na cidade somente poderão andar de táxi ou moto-táxi, Campo Grande vai ser um símbolo da desorganização.
 
fabio.vieira em 04/08/2011 10:44:00
Segurança para empresa e pra o cidadão que usa o transporte coletivo!! Não vai mais leva bolsa, celular ou notebook para o trabalho!!
Só no nosso pais que a segurança sempre para o empresario só que para o usuário nada de segurança!!
Que pais é esse??
 
Paulo Alves em 04/08/2011 09:17:25
Ta até ai concordo plenamente q vai ser seguro, mas uma pergunta me intriga, e como vai ficar quando pessoas de outras cidades chegarem em Campo Grande e quererem pegar um onibus para chegar ao seu destino, isso vai ficar complicado em época de Copa do Mundo quando muitos turistas chegarem aq e quererem ir p algum lugar e usar o onibus como transporte , irão pagar como cartão? Pensem nisso.
 
karin dantas em 04/08/2011 08:15:30
ELES ACHAM QUE VAO DIMINUIR OS ASSALTOS, VAI NADA AI BANDIDAGEM IRAO VOLTAR PARA OS USUÁRIOS DOS ONIBUS, JA QUE NAO VAI MAIS ROLAR DINHEIRO COM O MOTORISTA!!! MAS VAI ROLAR CELULAR, MP3, RELÓGIO, BOLSA, ETC....NAO VAI ADIANTAR EM NADA, AI SIM QUE VAI PIORAR!!! POIS SIM...VAI SER A LIMPA GERAL.
 
LEILA ESCOBAR MENDES em 04/08/2011 07:43:21
Como muitos campo grandensses, vai existir ai um tipo bastante conhecido em outros setores " A OFERTA DA LEI E DA PROCURA", se o bandido não vai mais encontrar nos caixas dos coletivos que integram em nossa cidade, obviamente e não querendo ser pessimista os bandidos vão começar a ASSALTAR, os usuarios dentro e fora dos coletivos, infelizmente muitos de nós ja vemos e ja comentamos sobre isso. Esperamos que não ocorra rapidamente ou melhor que nunca ocorra, mas vamos precisar muuuito mais da presença de nossos policiais.
 
Michael Douglas em 04/08/2011 07:23:19
Os argumentos: esquecero cartão em casa: será que o cidadão que disse isso esquece em casa a carteira de identidade ou outros documentos pessoais. Esquecer de carregar créditos no cartão: "esqueça" de abastecer o tanque de seu carro e veja o que acontece. Ladrão vai atacar o usuário: bobagem. O bandido é, antes de tudo, oportunista. Só age com tranquilidade. Não vai passar pela catraca para assaltar o passageiro.
 
Pedro Telles em 04/08/2011 06:29:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions