A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

05/09/2015 10:10

Padres da Capital já perdoavam mulheres que cometeram o aborto

Ricardo Campos Jr.
Católicos da Capital já praticavam pregação do Papa Francisco sobre o aborto (Foto: Arquivo)Católicos da Capital já praticavam pregação do Papa Francisco sobre o aborto (Foto: Arquivo)

Absolvição ao pecado do aborto será estendida a todos os sacerdotes católicos, por determinação do Papa Francisco, entre dezembro de 2015 e novembro de 2016. A medida não é exatamente uma novidade em Campo Grande. Os bispos tradicionalmente detêm a função em conceder o sacramento da reconciliação nesses casos e têm autonomia para autorizar os padres de suas dioceses a fazê-lo, como ocorre na Capital e em várias cidades do país.

O padre Carlos Henrique Botura explica que por aqui a medida foi tomada por Dom Vitório Pavanello enquanto estava à frente da Arquidiocese da cidade. “O que o Papa Francisco colocou é que nesse Ano da Misericórdia se tenha um cuidado mais especial a esse respeito onde esse perdão ainda está ligado apenas aos bispos”, pontua.

A decisão do Santo Padre não significa que a Igreja Católica está mudando a opinião sobre o aborto, que continua sendo uma grave falta, tanto para quem comete como para quem apóia e executa, mas que é passível de perdão se houver arrependimento verdadeiro, que implica no compromisso de não voltar mais a cometer o erro.

“É um chamado para viver a misericórdia e isso passa pelo arrependimento. O sacramento da confissão, que nós temos na igreja, por si, já supõe que a pessoa esteja arrependida, por isso que vai se confessar. Quando a pessoa está arrependida, automaticamente é necessário que tome um propósito de não repetir aquilo. Se reconhece que foi errado, não vai repetir o erro na medida do possível”, explica o sacerdote.

O que Botura afirma está claramente explícito nas palavras de Francisco na carta em que institui a medida. “O perdão de Deus não pode ser negado a quem quer que esteja arrependido, sobretudo quando com coração sincero se aproxima do Sacramento da Confissão para obter a reconciliação com o Pai”, diz o Papa.

“A mídia está tratando a situação como se fosse corriqueira, ou seja, pode abortar que vai ter o perdão, mas é isso que não se entende e a polêmica é nesse sentido. Continua sendo um pecado grave como sempre foi”, conclui.

Sesau e SES recolhem quase 10 toneladas de lixo no Jardim Noroeste
A ação de recolhimento de lixo realizada em casas e terrenos baldios no Jardim Noroeste - bairro localizado na regiões leste de Campo Grande - somou ...
Apae recebe doação de brinquedos da campanha Compartilhe o Natal
Foi iniciado nesta segunda-feira (11) a entrega de brinquedos arrecadados na campanha "Compartilhe o Natal", realizado pelo Ministério Público Estadu...
Ação oferece serviço especial na UBSF do Tarumã nesta terça-feira
A UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) do Tarumã promove nesta terça-feira (12) diversas atividades voltadas para a promoção de saúde da populaç...


Engraçado, a Igreja Católica perdoa alguns pecados, mas quando recebe um pedido para realizar um casamento em um local fora da Igreja, diz que é proibido, vai entender né.
 
LukCage em 05/09/2015 17:56:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions