A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

25/06/2013 14:49

Para Sindicato, morte de presos em delegacias é resultado de descaso

Nadyenka Castro
Presos em delegacia de Mato Grosso do Sul. (Foto: Divulgação)Presos em delegacia de Mato Grosso do Sul. (Foto: Divulgação)

Para o Sinpol-MS (Sindicato dos Policiais Civis em Mato Grosso do Sul), a morte de três presos em celas de delegacias de Polícia Civil no último sábado (22) “ é resultado da falta de investimentos na segurança pública”.

O descaso que o Sindicato se refere é em relação à custódia de presos, que, conforme a legislação não é obrigação de policiais e sim, do sistema penitenciário.

No entanto, em Mato Grosso do Sul assim como em outros Estados, delegacias estão abarrotadas de presos, principalmente no interior, cabendo a quem deveria investigar crimes, ‘cuidar’ de quem os pratica.

“O único momento de contato entre os policiais civis e os presos deveria ser no momento da prisão e da transferência para um estabelecimento penal, pois delegacia não é presídio”, fala o diretor jurídico do Sinpol, Giancarlo Miranda.

O advogado explica que uma das bandeiras de luta do Sindicato é a retirada de todos os presos das delegacias do Estado. “A diretoria tem se empenhado para retirar os presos das delegacias, haja vista que esta responsabilidade é dos agentes penitenciários, porém essa mudança depende das autoridades”.

Mortes- Diego Oliveira Lima (20), e Anderson Santana Martins (18), foram encontrados mortos em cela da Defurv (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos). Já Mário Baltazar de Oliveira, 33 anos, estava custodiado na 4ª Delegacia, nas Moreninhas.

Os três casos são tratados como suicídio pela Polícia Civil. Nos dois primeiros, a Polícia acredita que tenha havido um pacto de morte entre eles.

Mais um preso é encontrado morto em delegacia, o terceiro em 24 horas
Preso por não pagar pensão alimentícia, Mário Baltazar de Oliveira, 33 anos, foi encontrado morto por volta das 8 horas de sábado (22), na 4ª Delegac...
Homem de 30 anos é esfaqueado em bairro e fica em estado grave
Bartolomeu Gomes de Araújo Barbosa, 30 anos, ficou gravemente ferido após ser atingido a golpes de faca no abdômen, na noite de ontem (13), na Rua Bo...
Após documento vazar, Sesau diz que hemogramas não foram suspensos
A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) afirmou que os hemogramas continuam sendo feitos na rede pública de saúde de Campo Grande. A informação inici...


Eu discordo com certos comentários, tudo bem que bandido é bandido, mas nem todos são, esse que suicidou nas moreninhas, preso por pensão alimentícia, nessa crise que o Brasil atravessa, ninguém pode julgar alguém por não ter dinheiro, embora cada um tem que saber dos seus compromissos, mas as dificuldades financeiras todos passam, meu irmão está lá nas moreninhas, também por não pagar pensão alimentícia, desempregado, pedreiro, vive de bico, fez recentemente uma cirurgia de hérnia e não pode fazer muito esforço físico, minha mãe de 77 anos que o ajuda, ele é bandido?
 
Cris Oliveira em 26/06/2013 09:46:45
Minha gente, tanta coisa pra se preocupar, como crianças sem comidas nas CEINFs, hospitais lotados, povo cansado, são menos três bandidos na nossa cidade. As cadeias estão lotadas desses tipo de ser humano.
 
Arthur Felício em 26/06/2013 07:07:00
A morte dos presos não é descaso, descaso são o que estes presos fizeram com os cidadãos. Se eles querem melhores condições, que eles arquem com os custos. Bandido bom é bandido morto!
 
Alexandre de Souza em 25/06/2013 15:30:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions