ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SÁBADO  20    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Parada, obra de escola vira casa de usuários e esconderijo de itens furtados

A situação é investigada pelo Ministério Público Federal, já que a construção se utiliza de recursos da União

Lucia Morel e Thays Schneider | 03/05/2023 17:59
Obra abandonada e várias marcas de fogueiras. (Foto: Alex Machado)
Obra abandonada e várias marcas de fogueiras. (Foto: Alex Machado)

Iniciada em 2019, obra de escola municipal na Vila Nathália, no Portal Caiobá, se transformou em moradia para usuários de droga e esconderijo de objetos furtados por eles. A construção está parada há bastante tempo e os moradores da região estimam que há pelo menos 10 meses não há qualquer movimentação por lá.

A situação é investigada pelo Ministério Público Federal, já que a construção se utiliza de recursos federais, e averígua “possível prática de ato de improbidade administrativa decorrente de irregularidades na construção da Escola Municipal na Vila Nathália, em Campo Grande/MS, em especial a não conclusão e abandono da obra”.

A portaria que institui o inquérito define que tal conduta pode caracterizar ato de improbidade administrativa e que a situação tem interesse da União porque pode “tratar-se de possível malversação de recursos repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação/FNDE”.

O Campo Grande News foi até o local e verificou que a estrutura de obra está avançada, com telhado instalado e abrigos adequados. Entretanto, nada de alunos. O que há são marcas de fogueiras, muitos entulhos e roupas velhas, além de comida estragada por todos os lados. Quando a reportagem acessou o espaço, foi possível ver a movimentação de pessoas, que se esconderam aos fundos da construção.

Moradora em frente ao prédio, a idosa aposentada Cleusa Oliveira, de 74 anos, conta que não pode sair de casa e nem mesmo viajar. Se a moradia fica sozinha, é imediato o roubo de fios de energia por quem faz uso de entorpecentes e “mora” na obra abandonada. Segundo ela, até sair no portão é ruim, porque na mesma hora aparece um deles pedindo comida ou dinheiro.

“Uma construção gigantesca dessa e nosso bairro não tem escola. E é impossível conviver, porque os usuários tomaram conta e não posso sair de casa que roubam os fios daqui”, lamentou a idosa. “Se sair um dia, não tem mais fio no dia seguinte”, relata, lembrando que foi vítima diversas vezes e teve que gastar para recolocar os itens, até que decidiu não sair mais de casa para não ter que passar por isso.

Ela conta ainda que diversas vezes a Polícia Militar entra no local e recupera objetos roubados no próprio bairro, o que é confirmado por outra moradora, Gislaine Valdez, 21 anos. “Aí seria um ótimo local para creche e escola, daí eu poderia trabalhar, mas está aí, parado”. Gislaine diz ainda que o marido dela costuma dar comida aos usuários e que “deu uma vez, não param mais de pedir”.

Em nota, a Semed (Secretaria Municipal de Educação) informou que as obras iniciada em 2019 “foram interrompidas pela própria empresa vencedora na licitação, por causa da pandemia da covid-19, alegando a mesma que houve um aumento no preço do material de construção”. Por fim, disse que o espaço está 49% concluído e em processo de ajuste de orçamento para nova licitação. Sobre a investigação do MPF nada foi citado.

A obra tem 2.651 metros quadrados de área construída, 12 salas de aula, laboratório, quadra poliesportiva coberta e instalações administrativas ao custo de R$ 3.423.368,88. Em julho de 2014, foi liberada a primeira parcela, no valor de R$ 684.673,78.

“Como o orçamento estava defasado, com planilhas feitas há mais de sete anos, a prefeitura teve de ampliar a contrapartida, para garantir a construção da escola que vai exigir um investimento de R$ 4.272.622,05”, diz nota de 2020 do município.

Confira a galeria de imagens:

  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
Nos siga no Google Notícias