ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Paraguaio morto no Los Angeles era procurado por matar professora

Conhecido como "Paraguai", homem foi morto em casa, onde funciona lanchonete

Por Dayene Paz | 02/08/2022 10:45



Isidoro Cáceres, de 35 anos, conhecido como "Paraguai", morto ao ter a casa invadida por atiradores na noite de sexta-feira (29), na Rua Engenheiro Paulo Fronti, Jardim Los Angeles, em Campo Grande, era procurado pela polícia paraguaia por homicídio. O verdadeiro nome dele é Pablino Luis Chávez.

Conforme o site local Última Hora, havia contra Pablino um mandado de prisão por homicídio ocorrido em março de 2013 na cidade de Concepción, no Paraguai. A vítima é uma professora identificada como Miriam Beraud Diana, de 38 anos, atingida por três tiros.

Assassinato de Paraguai - Câmeras registraram o momento em que a dupla entra na casa para matar Paraguai. Os autores usavam capacetes para dificultar na identificação. As imagens mostram os dois homens seguindo até o primeiro cômodo e passam a disparar várias vezes na vítima.

Uma mulher passa pela varanda e, aparentemente, se esconde no corredor, enquanto eles, ainda do quintal, disparam mais contra o cômodo. A ação durou cerca de 40 segundos. Depois de matar Isidoro, a dupla ainda efetuou vários disparos contra o carro dele, Toyota Corolla branco. Ao menos 50 tiros foram disparados no local, de acordo com as informações da polícia.

"Paraguai" foi atingido com vários tiros de pistola 9 milímetros. Na casa dele funcionava uma lanchonete, onde os peritos da polícia científica encontraram mais de 50 cápsulas deflagradas. Ainda não se sabe a motivação do crime e nem a identificação dos autores. Isidoro já respondeu na justiça brasileira por tráfico de drogas e receptação.

Nos siga no Google Notícias