A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017

25/07/2017 10:54

Polícia já identificou pelo menos mais 2 vítimas do suspeito de matar Kauan

Na casa do homem, que já deu aula e escolas públicas, foram apreendidos 2 celulares e um computador

Viviane Oliveira
Fachada da casa de Deivid, onde ocorrias os crimes de abuso sexual contra crianças (Foto: André Bittar)Fachada da casa de Deivid, onde ocorrias os crimes de abuso sexual contra crianças (Foto: André Bittar)

A Polícia Civil já identificou pelo menos mais duas crianças vítimas de Deivid de Almeida Lopes, 38 anos, suspeito de ter estuprado até a morte Kauan Andrade Soares dos Santos, 9 anos, e depois jogar o corpo dele no Rio Anhanduí, região sul de Campo Grande. O menino desapareceu há 1 mês e o corpo ainda não foi encontrado. 

Na casa do suspeito, foram apreendidos um computador e dois celulares que tinham vídeos pornográficos que, supostamente, eram exibidos às crianças durante a violência sexual. Ele admitiu que só ele mexia nos equipamentos, mas negou que havia imagens de menores. Além disso, disse à polícia que só falaria em juízo sobre as suspeitas.

Deivid, identificado como pintor no processo que decretou sua prisão, foi preso no sábado (22) após um garoto de 14 anos confessar que foi com a criança até a casa do suspeito, na Rua da Praia, no Bairro Coophavilla II. No local, Deivid teria estuprado Kauan, assassinado e, junto com o adolescente, jogado o corpo dele no rio, na região do Aero Rancho.

Conforme relatos do adolescente de 14 anos, que passou de vítima a comparsa de Deivid no crime, conforme a apuração, os garotos estavam sempre na casa do suspeito capinando o quintal dele. Esta era, segundo a investigação, uma forma de o professor atrair as crianças até à residência dele.

O menino, que está apreendido na Unei (Unidade Educacional de Internação) Dom Bosco e os três amigos, inclusive Kauan, também recebiam dinheiro do suspeito. O garoto lembra de uma situação em que o suspeito abusou sexualmente dos três. Em troca, deu R$ 5 para cada. As vítimas, atraídas pelo homem preso, eram sempre crianças com condição precária socieconômica e familiar, destaca o despacho do juiz Roberto Ferreira Filho sobre o caso.

Em depoimento, o adolescente relata ainda que apesar de o homem abusar dos três, o "preferido" era o menino que desapareceu há um mês. Uma das vítimas do suspeito disse em depoimento ao setor psicossocial da DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), que por diversas vezes assistiu filmes pornográficos na casa do suspeito.

A policia pediu a prisão preventiva de Deivid em decorrência de suposta prática, por várias vezes, de violência sexual contra as crianças, sendo uma delas Kauan - desaparecido desde o dia 25 de junho. Quando foi preso em casa, Deivid estava com a esposa.

Ex-professor convocado tanto em escolas estaduais quanto municipais em Campo Grande, o suspeito afirmou que uma foto encontrada com ele é de uma ex-aluna, de 17 anos. Nas redes sociais, onde ele foi identificado por vizinhos, surgiram vários comentários sobre comportamento inadequado quando dava aulas.

Buscas - O Corpo de Bombeiros retomou, hoje pela manhã, o 5º dia de buscas pelo corpo do menino  Kauan, que as investigações indicam estar morto. Os trabalhos estão sendo realizados nas margens e o no leito do rio, desde sexta-feira (21). 

Deivid, que foi preso em flagrante por armazenar conteúdo pornográfico envolvendo crianças, está detido na Derf (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Roubos e Furtos). 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions