A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

12/02/2014 19:12

Policial que matou motorista alega legítima defesa e consegue liberdade

Alan Diógenes

O cabo da Polícia Militar Geison Martins Soares, 34 anos, que matou o motorista Eliandro Ayala Antunes, 32, com dois tiros no peito na noite da segunda-feira (10), foi solto na tarde desta quarta-feira (12) em Campo Grande. Ele tinha ficado detido por dois dias no Presídio Militar Estadual logo após ter prestado depoimentos na delegacia no dia do crime.

De acordo com o advogado do policial, Ronaldo Franco, o juiz Carlos Alberto Garcete da 1º vara do Tribunal do Júri, entendeu que o motorista Eliandro Ayala apresentou risco a vida de Brunielly Dias Barbosa, 22 anos, que seria sua ex-namorada e atualmente mantinha relacionamento com Geison, quando adentrou à residência da jovem, apontando uma arma de brinquedo.

“O juiz entendeu que meu cliente agiu em legítima defesa, pois a vítima utilizou uma arma de brinquedo para ameaça-lo e a Brunielly, não dando tempo para ele perceber que a arma era falsa. Além disso, a vítima induziu meu cliente, que disparou sua arma tentando se defender”, informou.

Geison agora responderá o processo em liberdade. Conforme informações do advogado Ronaldo Franco prestadas ao Campo Grande News, provavelmente haverá um arquivamento do caso. “Acredito que após o encerramento do inquérito que foi aberto por parte do delegado de plantão, não haverá nenhuma denúncia do Ministério Público”, salientou.

Crime – Eliandro foi morto com dois tiros no peito depois de ter invadido a casa de Brunielly. De acordo com o delegado que atendeu a ocorrência, Ivahir Luiz de Campos, o soldado da Polícia Militar agiu em legítima defesa, pois no momento do crime a vítima usava um "simulacro de uma arma ponto 40".

Conforme a Polícia Civil, Eliandro arrombou a porta, invadiu a casa da namorada, que estava junto com o PM e apontando a arma de brinquedo disse que ia matar Brunielly. O PM reagiu atirando no motorista.

Depois que a vítima caiu, o PM pegou a arma e viu que se tratava de um simulacro. O Samu e o Corpo de Bombeiros foram acionados e tentaram durante 30 minutos o procedimento de reanimação, mas o homem não resistiu e morreu no local.

O caso foi registrado como homicídio doloso na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), do bairro Piratininga.



Uai , ao que eu saiba a sua residência é inviolável perante a Constituição .
O cara invade a casa da ex para ameaçá-la e ainda é inocente? Se o policial não estava sendo ameaçado e não estava em serviço, ele agiu errado , mas se ele não tivesse feito nada disso? Se ele tivesse apenas detido o meliante, o mesmo seria apedrejado? E se o policial nem estivesse lá ? Com certeza a garota teria sido agredida, violentada...bem feito pro defunto. Procurou sarna para se coçar e encontrou , e agora vejo os comentários de que não temos justiça e não vai dar nada para o policial. E se o marginal tivesse vivo e tivesse agredido a menina também não daria nada para o bandido !
 
Karla Cavalcante em 14/02/2014 04:35:37
não sei se dois tiros no peito se chama legitima defesa ...
 
Haroldo Correa Ferraz em 14/02/2014 01:18:34
Não vai ficar assim,a família esta contratando um advogado para entrar no caso.Há coisas mal explicadas,ela sabia que ele iria lá,pois antes de ir ele pegou 300 reais para levar pra ela e temos testemunhas.A arma falsa que ele estava foi comprado com ela.Ela sabia que ele tinha feito um seguro de vida a qual ela seria beneficiada,mas graças a Deus ele tirou do nome dela no mesmo dia a tarde antes de morrer e colocou no nome da mãe.O cara não era atual dela porque fazia somente 1 semana que ele tinha saído de lá porque ela o expulsou alegando que ele não podia mais manter os luxos dela,afinal ela tinha sugado tudo dele, pois quando começaram o relacionamento até camionete ele tinha.Porque avisaram a família somente as 01:15 da madrugada se o fato ocorreu às 10:20 da noite?Justiça será feita
 
Aurineide Cavalcante em 13/02/2014 18:01:00
Então posso matar alegando legítima defesa? Um policial treinada age pela razão ou pela emoção? Acho que maior culpada disso é Brunielly, que se faz de vítima diante da situação!
 
Maria dos Santos em 13/02/2014 15:02:23
O cara não esta aqui mais para se defender, então qualquer coisa que este assassino dizer quem contesta.
 
Walda de Oliveira em 13/02/2014 07:57:43
Por conta destas jogadas nas entre linhas das leis é que JUSTIÇA esta deixando imperar a impunidade...
 
Ado Filho em 12/02/2014 22:26:15
Desde quando policial pode alegar legítima defesa??? Ele só deve agir pelo estrito cumprimento do dever legal.
 
Alan Baléro em 12/02/2014 21:57:53
q eu saiba legitima defesa é um tiro e a casa nem dela nao era.ele q pagava e so tinha uma semana q ele saiu da casa..Nao temos justiça por isso nao vai da nada para o policial
 
roberto de carvalho em 12/02/2014 19:33:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions