A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

11/12/2012 12:19

Praça recebe nome de estudantes mortos e família ajudará a manter

Paula Maciulevicius e Luciana Brazil
Família dos dois estudantes vão ajudar na manutenção, com lágrimas nos olhos, eles seguem pedindo para que o caso não caia no esquecimento. (Foto: Luciano Muta)Família dos dois estudantes vão ajudar na manutenção, com lágrimas nos olhos, eles seguem pedindo para que o caso não caia no esquecimento. (Foto: Luciano Muta)

Hoje a sessão na Câmara Municipal contou com a presença de uma família que virou símbolo da luta contra o fim da impunidade em Campo Grande. As mães dos estudantes Breno Luigi Silvestrini de Araújo, 18 anos, e Leonardo Batista Fernandes, de 19 anos, mortos em agosto de 2012, estiveram na apresentação do projeto que nomeia uma praça no Carandá Bosque de “Bosque da Paz Breno e Leonardo”.

O convite foi feito pelo presidente da Câmara e autor do projeto, Paulo Siufi. O local que agora está abandonado era um dos espaços públicos e abertos que os universitários costumavam frequentar.

A família vai ajudar na manutenção da praça. Para a mãe de Leonardo, Ângela Iracema Batista Fernandes, a ideia é que o crime não caia no esquecimento. “A população tem que se unir e participar. As pessoas precisam refletir”, completa. O projeto das duas famílias, agora unidas pela dor, pretendem promover concursos culturais, de leitura, poesias e eventos esportivos. Para as mães, esta é uma forma de preencher um dos espaços que antes eram ocupados pelos filhos.

“O problema não é dos outros. É nosso. A violência está aumentando. A intenção não é colocar os dois num pedestal, mas sim usar o que aconteceu para conscientizar que as pessoas precisem lutar”, declarou a mãe de Breno, Lilian Regina Silvestrini Araújo.

Os familiares dos estudantes continuam com a bandeira erguida de que quando a sociedade se mobiliza, como no caso da Ficha Limpa, o resultado existe. “Quando não faz nada o crime cresce”, acrescentou Lilian.

A mobilização dos campo-grandenses foi tamanha que a família não esperava. No próximo sábado, uma nova carreata pela região central da cidade vai pedir novamente pelo fim da impunidade.

A petição levantada pelos pais de Breno e Leonardo já colheu 50 mil assinaturas e eles querem chegar a 100 mil.

“A morte deles não foi à toa. Não foi gratuita”.

Crime - Breno e Leonardo foram sequestrados logo após terem saído do Bar 21, no bairro Chácara Cachoeira, no dia 30 de agosto deste ano. Os criminosos levaram os rapazes para a saída de Sidrolândia. As margens da rodovia, os amigos foram agredidos e mortos. A quadrilha fugiu do local levando a camionete Pajero de propriedade do pai de Leonardo.

Como os estudantes não chegavam em casa, as famílias acionaram a Polícia. As primeiras prisões ocorreram em Corumbá, na fronteira com a Bolívia. Com as declarações dos presos, a Polícia chegou até o local onde estavam os corpos das vítimas. O carro foi recuperado.

 

 



mas se fosse filho de um de nos trabalhadores bracal ,de baixo nivel com certeza estaria no esquecimento.....
 
laci cardoso em 11/12/2012 23:23:51
É muito triste o que aconteceu com estes jovens, digo isto porque senti a mesma dor destes pais, meu filho também jovem, com apenas 23 anos de idade recém completado foi assassinado em pleno local de trabalho. Não me calei, fui a luta, gritei, fiz várias passeatas, trouxe o casal OTA para uma palestra “Justiça e Perdão”. Nunca tive o apoio nem da OAB e de nenhum político, mas nunca desisti. É triste saber que todos os dia a violência faz mais vitimas em Campo Grande, esta luta tem que ser de todos, não só dos dois rapazes.

Mais uma vez o Juri Popular que julgaria o assassino do Brunão foi adiado, e não será mais amanha. Mas a luta continua, não podemos esquecer! Não quero ser simbolo de nada, só quero o fim da impunidade, e, a JUSTIÇA.
 
João Márcio Escobar em 11/12/2012 13:41:13
Concordo com a Dona Lilian Silvestrini, temos que lutar pra não ficar no esquecimento. Quando esta tragédia aconteceu fiquei muito chocada, também tenho um filho de 18 anos, e todas as vezes que sai fico preocupada e com o coração na mão, com medo que possa ocorrer algo ruim. Não que eu tenha pensamentos negativo, mais com a violência que está tendo em nossa capital, é difícil não se preocupar. E também acho que a nossa policia, assim como desempenhou tanto encima desta tragédia, também deve ter seu desempenho com o fato ocorrido no ultimo final de semana com um jovem também assassinado brutalmente na Orla Morena. Notei que não se fala mais sobre o assunto, acho que também devem apresentar resultados, porque também tem família que devem estar destruída por dentro pela perda de um filho, e quem fez isso deve pagar.
 
Girlane Bucker em 11/12/2012 12:47:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions