ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  07    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Prefeito espera que reformas do Reviva incentivem população a morar no Centro

Trad avalia que conjunto de obras na área central de Campo Grande também atraia mais clientes para região

Por Guilherme Correia e Gabriela Couto | 26/03/2022 18:01
Neste sábado, foi realizado evento para lançar a primeira etapa do projeto Reviva Centro. (Foto: Henrique Kawaminami)
Neste sábado, foi realizado evento para lançar a primeira etapa do projeto Reviva Centro. (Foto: Henrique Kawaminami)

A entrega da primeira etapa do projeto Reviva Campo Grande ocorreu neste sábado (26), com apresentações pelos trechos revitalizados na área central da Capital. O prefeito, Marcos Trad (PSD), avalia que a região foi esquecida pela população nos últimos anos, mas que as reformas trarão a população campo-grandense para morar e frequentar a região.

Para ele, desde a década de 1980, as pessoas deixaram de usar o Centro como um centro de lojas, mas agora o local possui todos os atributos para ser uma espécie de shopping a céu aberto. “Pessoas com deficiência andando em todos os locais, sem dificuldades, com paradas de descansos, toda modernidade, com Wi-Fi gratuito.”

Sobre as dificuldades no trânsito, ele pondera que seria inevitável. “É normal, traz um desconforto. Seja na sua rua, na sua casa, ou em 40 quadras do centro da cidade.”

Prefeito Marcos Trad (PSD), durante lançamento do conjunto de obras. (Foto: Henrique Kawaminami)
Prefeito Marcos Trad (PSD), durante lançamento do conjunto de obras. (Foto: Henrique Kawaminami)

Ainda assim, ele comenta que todo o processo de obras foi feito com responsabilidade fiscal e transparência. “Nesse tempo, não teve problema com a Justiça, com o Ministério Público. Tudo transcorreu com maior transparência, sem mexer no bolso ou na bolsa de ninguém.”

Questionado sobre a situação da antiga rodoviária, local de crime ocorrido neste sábado (26), ele garantiu que será revitalizada e que a licitação deve sair na próxima semana - neste projeto, está prevista ampliação das forças de segurança pública.

De acordo com a coordenadora do projeto, Catiana Sabadin, está prevista pavimentação do Centro, paisagismo, câmeras de monitoramento, plantio de centenas de árvores e que “todas as calçadas vão possuir acessibilidade universal”.

Nesta primeira fase, a entrega compreende as ruas 7 de Setembro, 26 de Agosto, 15 de Novembro, Barão de Melgaço, Marechal Rondon - entre a 14 de Julho e José Antônio -, José Antônio - da Avenida Afonso Pena até a Avenida Rodolfo José Pinho - e a Rui Barbosa, da Avenida Fernando Corrêa da Costa até a 7 de Setembro.

As obras realizadas nestes locais foram de recapeamento, implantação de paisagismo, construção e padronização de calçadas, instalação de iluminação de LED, drenagem e mobiliário urbano.

Segundo ela, Campo Grande se tornará uma das cidades mais acessíveis do País e até do mundo. “A acessibilidade foi garantida da Avenida Afonso Pena até a Avenida Fernando Corrêa da Costa.”

Novas etapas de reformas serão feitas até 2023. (Foto: Henrique Kawaminami)
Novas etapas de reformas serão feitas até 2023. (Foto: Henrique Kawaminami)

Outras fases - Segundo Trad, a segunda etapa deve sair em agosto, em homenagem à comemoração do aniversário da Capital. “Vou estar bem perto dos campo-grandenses, com saúde, e Deus vai me abençoar.”

Haverá revitalização do microcentro em 21 quilômetros de vias, num quadrilátero formado da Avenida Fernando Corrêa da Costa até a Avenida Mato Grosso, e da Avenida Calógeras até a Rua José Antônio.

As ruas Dom Aquino, Marechal Rondon e Barão do Rio Branco terão uma área um pouco maior, até a Rua Joaquim Nabuco, no antigo Terminal Rodoviário.

As obras foram para a data comemorativa, mas o programa se estende até dezembro de 2023. “Vão ser programas menores de revitalização, como a Vila dos Idosos, o Surian - projetos estruturas que vão trazer os moradores ao Centro da cidade", completa Sabadin.

Nos siga no Google Notícias