A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 09 de Dezembro de 2018

17/09/2015 19:15

Prefeitura atrasa pagamento e corta bolsa alimentação de 6 mil servidores

Michel Faustino

Cerca de 6 mil servidores públicos municipais de Campo Grande permanecem com o benefício do bolsa alimentação suspenso. Conforme o Sisem (Sindicato dos Servidores e Funcionários Municipais) a empresa Brasil Card bloqueou o repasse este mês por falta de pagamento.

Segundo Marcos Tabosa, presidente do Sisem, a concessão do bolsa alimentação foi pactuada em acordo feito entre a prefeitura e o sindicato em maio do ano passado. O sindicalista explica que na época, por conta das negociações salariais, a prefeitura não teve tempo hábil para fazer uma licitação e decidiu elaborar um contrato de serviço junto ao sindicato que firmou convênio com a empresa Brasil Card, sendo a prefeitura responsável pelo pagamento do beneficio.

De acordo com Tabosa, ficou acordado que a empresa disponibilizaria o beneficio até o quinto dia útil e receberia até o dia 25. O valor é cerca de R$ 900 mil mês.

Em maio deste ano, alegando dificuldades financeiras, a prefeitura procurou o sindicato e pediu que a entidade negociasse junto a empresa uma flexibilização no pagamento que seria estendido para o mês seguinte.

Os valores devidos foram saldados mês a mês, no entanto, em agosto deste ano a prefeitura não pagou os valores referente aos meses de julho e agosto e a empresa decidiu suspender o beneficio.

O bolsa alimentação, concede até R$ 150, e visa atender o funcionário que recebe até dois salários mínimos. Foram contemplados os funcionários enquadrados até o nível 13 (com ensino fundamental e nível médio de escolaridade), com vencimento base de até R$ 1.448,00.

Neste grupo de 5.625 funcionários estão os guardas municipais (1.341 servidores); administrativos da educação (2.151); agentes comunitários de saúde (1.441) e auxiliares e técnicos de enfermagem (687 funcionários). O pessoal da educação recebe cartão alimentação de R$ 120,00. Os agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem, R$ 140,00, enquanto os guardas terão R$ 150,00.

O Campo Grande News tentou entrar em contato por telefone com o secretário municipal de Administração Ricardo Ballock para saber sobre esta situação, no entanto, até o fechamento desta materia ele não atendeu nem retornou às ligações. Um email também foi enviado para a assessoria de comunicação da prefeitura pedindo explicações a respeito do fato e não houve retorno.

Jovem e padrasto são perseguidos e tem carro atingido por tiros
Um homem de 31 anos procurou a polícia após ser perseguido pelas ruas do Jardim Jóquei Clube e ter o carro atingido por tiros na tarde deste domingo ...
Comerciante é preso com revólver em tabacaria na Vila Taquarussu
Um homem de 30 anos foi preso com uma revólver calibre 38 dentro de uma tabacaria na Vila Taquarussu, em Campo Grande, na madrugada deste domingo ( 9...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions