A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

21/10/2015 15:51

Prefeitura pede à Justiça multa maior e prisão de donos da Solurb por "greve"

Michel Faustino
Lixo se acumula nas ruas e retomada do serviço depende da Justiça (Foto: Marcos Ermínio)Lixo se acumula nas ruas e retomada do serviço depende da Justiça (Foto: Marcos Ermínio)

A Prefeitura de Campo Grande entrou na Justiça com pedido de reconsideração em que solicita a ampliação de multa diária de R$ 100 mil e a prisão dos diretores da concessionária CG Solurb, responsável pela coleta de lixo na Capital, por descumprimento a determinação judicial de manutenção dos serviços. A coleta do lixo domiciliar que estava reduzida desde quinta-feira foi totalmente suspensa no início da semana e nesta quarta-feira (21) a empresa anunciou também a interrupção da coleta do lixo hospitalar.

De acordo com o procurador-geral do município, Denir de Souza Nantes, a empresa insiste em suspender os serviços mesmo existindo decisão revalidada pela Justiça para que a coleta seja mantida. “A empresa vem desrespeitando a Justiça e a população campo-grandense. O município, por sua vez, tem feito tudo para resolver esse impasse”, disse.

Segundo o procurador, a Justiça está sendo comunicada da paralisação integral dos serviços por parte da Solurb e com isso há a gradação de consequência do não cumprimento da decisão do juiz Alexandre Ito, da 2ª Vara da Fazenda Pública e de Registros Públicos, que no dia 15 de setembro, determinou que os serviços fossem restabelecidos sob multa diária de R$ 50 mil até o limite de R$ 1 milhão. Conforme Denir, esse valor passaria para R$ 100 mil dia, além da possibilidade dos diretores da empresa serem presos.

“Eles (Solurb) não estão cumprindo com a lei e não é de hoje. E isso caracteriza crime de desobediência passível de punição. Agora já comunicamos sobre essa suspensão da coleta do lixo hospitalar, que é preocupante, e esperamos que haja uma determinação para que eles voltem, até porque eles não comunicaram a Justiça sobre isso, e apenas estão divulgando na imprensa”, comentou.

O procurador ressalta que a foi constatado uma desproporção muito grande nos valores cobrados pelos serviços prestados pela empresa. Segundo ele, em uma das faturas, atestadas ainda na gestão do ex-prefeito Gilmar Olarte (PP), a empresa alegou que varreu cerca de 10 mil quilômetros de rua.

“Há uma disparidade muito grande nessas faturas. Essa medição da varrição, por exemplo, é a distancia daqui a Portugal. Então o que o município espera é que a empresa comprove que fez os serviços para que a gente possa pagar”, disse.

Segundo Denir, a empresa alega que tem a receber uma média de R$7 milhões por mês, no entanto, analise feita pela prefeitura atestou que o serviço custaria pouco mais de R$3 milhões.

“É preciso que eles apresentem as planilhas, o que fez, o que não fez. E não simplesmente chegar com a conta”. A empresa alega que está sem receber há três meses e o valor da dívida é de R$23 milhões.

O Campo Grande News tentou entrar em contato por telefone com os representantes da empresa, mas até o fechamento da matéria não houve retorno.



Nunca vi uma população tão apática como essa de Campo Grande. Estamos sendo feitos de idiotas por esses bandidos. Pagamos nossos impostos, na verdade somos explorados e não recebemos nem o mínimo que era para receber de retorno. A coleta do lixo não é um luxo, é uma obrigação dessa administração que para mim é composta de gente que acha que a população é composta de idiotas, pois já é a terceira vez que a coleta de lixo está paralisada a não vi ninguém fazer nada. Já que não resolve a situação com a referida empresa, favor manter o serviço, e senhor prefeito você não estará fazendo favor para ninguém, é uma obrigação sua que fez tanto para voltar para o cargo. Está na hora da população sair nas ruas e cobrar, pois esse serviço é pago por todos e não é nenhum favor vindo da prefeitura.
 
Vanessa em 21/10/2015 21:19:20
Nós, usuários desse serviço e pagador de impostos temos que acionar o MPE e Prefeitura para acabar de vez com está incompetente empresa SOLURB. Vamos solicitar a todas autoridades que apoiem a rescisão do contrato e que uma nova licitação seja feita em regime de urgência para atender os serviços de Campo Grande. A população não pode ficar refém de uma única empresa como esta.
 
edinho em 21/10/2015 17:57:45
Infelizmente a culpa é dos vereadores que fizeram a casação do prefeito e o ex prefeito, esses sim deveriam ser responsabilizado pelo que ta acontecendo em campo grande. Essa é a minha opinião
 
fabinho em 21/10/2015 17:36:39
Esse bando de incompetentes não estão nem aí com a população de Campo Grande, o MPE deveria era pedir a prisão não somente dos diretores da SOLURB, mais também do prefeito Alcides Bernal, assim quem sabe eles chegariam a um acordo e acabassem com essa zona franciscana que se transformou a coleta de lixo na nossa cidade.
Já disse que o melhor que a gente poderia fazer era juntar nosso lixo e despejar tudo na porta da prefeitura e da SOLURB, aí garanto que eles solucionariam o problema rapidamente,
 
juvenul em 21/10/2015 16:04:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions