A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

14/11/2012 20:07

Presa, dona de hotel é acusada de permitir uso de drogas no local

Além da dona do hotel, outras pessoas foram detidas. Situação foi verifica durante investigação de desaparecimento de um advogado

Nyelder Rodrigues e Luciana Brazil
Os três usuários foram presos no Hotel Caymã. Eles confessaram que é comum o uso de drogas no local. (Foto: Simão Nogueira)Os três usuários foram presos no Hotel Caymã. Eles confessaram que é comum o uso de drogas no local. (Foto: Simão Nogueira)

A proprietária do Hotel Caymã, localizado no cruzamento das ruas Calógeras e 26 de Agosto, foi presa nesta quarta-feira (14) sob a suspeita de auxiliar ao tráfico de drogas, além de receptação de produtos.

Conforme a polícia, Lúcia Arfanio, de 39 anos, permitia que no local acontecesse o uso liberado de drogas. Além disso, ela foi encontrada com produtos receptados no hotel. A pena nestes casos pode variar entre cinco e 15 anos.

O garoto de programa Darlon Alves Lemos, de 22 anos, que morava no hotel, também foi preso, por tráfico de drogas e estelionato.

A polícia chegou ao hotel após o desaparecimento de um advogado de 36 anos, que estava desde domingo (11) em Campo Grande, e foi encontrado nesta quarta. Ele é de Santos (SP) e veio para a Capital prestar o concurso da Defensoria Pública.

Conforme o relato do próprio advogado para a polícia, após fazer a prova, ele foi ao hotel onde estava hospedado, próximo à rodoviária, onde conheceu um grupo de pessoas e foi até um bar da cidade. De lá, ele seguiu sozinho na rua, onde consumiu bebidas alcoólicas e pasta base.

Ainda na rua, ele pediu para um andarilho a indicação de onde poderia comprar mais drogas. O andarilho o levou até Darlon, que o levou para o Hotel Caymã. Lá, o advogado continuou o consumo de drogas.

Para comprar mais, o advogado foi até o banco com Darlon, onde sacaram R$ 250. Posteriormente, ele ofereceu o cartão de crédito para o garoto de programa, que gastou R$ 4 mil comprando produtos de beleza, seis celulares e roupas. Parte destes materiais foi vendida para Lúcia, dona do Caymã.

A família do advogado, preocupada com o desaparecimento, registrou boletim de ocorrência em Santos, que entrou em contato com o hotel onde ele estava hospedado anteriormente. Nesta manhã, ele retornou ao local, e a polícia foi chamada, conseguindo esclarecer o caso.

Darlon foi preso sob suspeita de ter praticado estelionato e tráfico de drogas. Darlon foi preso sob suspeita de ter praticado estelionato e tráfico de drogas.

Por conta dos relatos, os policiais foram ao Hotel Caymã, e lá encontraram mais duas pessoas dentro de um quarto, consumindo drogas. 

Durante a abordagem, Fernando Henrique Rachid, de 19 anos, chegou ao local vendendo xampus e desodorantes, oferecendo os produtos para um dos investigadores no local. Ele revelou que usaria o dinheiro para comprar drogas. Tanto Fernando quando as duas pessoas que consumiam droga foram presos. Os três confessaram à polícia que no Caymã é comum o uso de entorpecentes.

Em conversa com a reportagem do Campo Grande News, o garoto de programa Darlon contou que é usuário há 13 anos, e se prostitui há oito. Darlon disse que não forçou a situação e que o advogado deu a carteira voluntariamente. “Se pudesse, repetiria a dose”, revelou.

O advogado, que também foi detido, assinou um termo e será liberado. Conforme alguns policiais, ele aparentava ainda estar sob o efeito de drogas. Um representante da Comissão de Direitos de Prerrogativas da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil) acompanha o caso para que os direitos do advogado sejam respeitados.

Alguns dos produtos comprados por Darlan ainda estavam com notas fiscais e foram recuperados antes de serem vendidos.Alguns dos produtos comprados por Darlan ainda estavam com notas fiscais e foram recuperados antes de serem vendidos.
Drogas divididas em porções e uma calculadora onde eram colocadas foram encontradas nas dependências do hotel.Drogas divididas em porções e uma calculadora onde eram colocadas foram encontradas nas dependências do hotel.
Confundido com ladrão, homem causa acidente e acaba agredido
Flávio Guimarães Fernandes, 39 anos, foi confundido com ladrão e agredido por moradores após se envolver em acidente. O caso aconteceu na madrugada d...
Sesau e SES recolhem quase 10 toneladas de lixo no Jardim Noroeste
A ação de recolhimento de lixo realizada em casas e terrenos baldios no Jardim Noroeste - bairro localizado na regiões leste de Campo Grande - somou ...
Apae recebe doação de brinquedos da campanha Compartilhe o Natal
Foi iniciado nesta segunda-feira (11) a entrega de brinquedos arrecadados na campanha "Compartilhe o Natal", realizado pelo Ministério Público Estadu...


Pena de morte para todos esses traficantes. A sociedade nao aguenta mais.
 
Jose Goncalves Ferreira em 16/11/2012 01:45:46
Infelizmente a droga e o alcool viciam as pessoas independente de sua condição social, este pobre advogado já era dependente, de certo não tinha mais futuro em Santos aí resolve vir tentar a sorte aqui, felizmente para a sociedade foi descoberto a tempo, já pensaram se ele passa no concurso e depois de empossado é pego na droga, ia ser internado numa clinica de recuperação e ficar recebendo nosso dinheiro numa boa, tenho dó é da familia que com certeza sofre muito com esta situação.
 
juvenil marques em 15/11/2012 20:36:02
E veio aqui prestar concurso para ser defensor publico em pessoal já pensou?

 
benedito ferreira em 15/11/2012 11:07:08
Já estava mais que na hora de acontecer alguma coisa nesse Hotel, trabalho ao lado, e sempre esteve na cara o que ocorria ali, desde prostituição a consumo de drogas na frente de todo mundo, e a policia fingia que não via.
 
maia torres em 15/11/2012 10:48:49
nossa.....admiro e muito, um advogado uma pessoa estudada, estar metido com pessoas usuarias de drogas....que mundo e esse.....
 
luiz carlos em 15/11/2012 07:55:34
A comissão acompanha para garantir que o DIREITO DO ADVOGADO sejam garantidos. Fazer o que não é mesmo. Os Direitos do menino que se prostitui nas ruas a 8 anos já estão violados mesmo né.....Que país é este!!!!!!!
 
Daniela Fialho em 14/11/2012 22:17:05
Que vergonha para esse advogado. E ainda queria passar em concurso para defensor. Na fase de investigação de antecedentes que feio pra ele. Usuário de drogas, envolvimento com garoto de programa e com 36 anos na cara, não é nenhum moleque né. A carreira pública dele já era.
 
Rafael Santos em 14/11/2012 21:13:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions