ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, TERÇA  28    CAMPO GRANDE 14º

Capital

Preso que atropelou aluna da polícia diz que não é perigoso e pede liberdade

Ministério Público Estadual foi contra soltura e disse que isso provocaria sensação de impunidade

Por Clayton Neves | 17/05/2022 14:49


Preso preventivamente por atropelar duas pessoas em uma moto, entre elas, uma aluna da Polícia Civil, Landerson Correa Teixeira, de 35 anos, tenta na Justiça deixar a cadeia, onde está desde a manhã do último dia 8. Entre as alegações, o motorista que dirigiu 1 km com a vítima no teto do carro disse que não é perigoso e que a prisão preventiva é “incabível”.

Em pedido de liberdade, a defesa de Landerson alega que ele não representa perigo à sociedade, porque é réu primário, tem endereço fixo e trabalha a mais de 12 anos no mesmo emprego, inclusive, em posição de destaque na empresa. Pontuou ainda que tem dois filhos pequenos, sendo que o mais novo tem 3 anos de idade.

Ontem (16), o Ministério Público Estadual se manifestou contrário ao pedido de soltura do motorista e afirmou que não foram apresentados fatos novos que justifiquem soltá-lo. Também pontuou que “os crimes foram cometidos em circunstâncias que demonstram a periculosidade do agente, sendo que a prisão preventiva se mostra perfeitamente cabível”.

O MP considerou que colocar Landerson em liberdade provocaria sensação de impunidade e descredibilizaria a Justiça. “Não é forçoso presumir que ao conduzir veículo embriagado, em alta velocidade e na contramão, o requerente não se importou como resultado lesivo que viria a causar, e ainda fugiu do local dos fatos, sem prestar socorro às vítimas, o que demonstra, no mínimo, pleno descaso com a vida alheia e com a lei penal vigente”, finalizou.

Agora, a decisão sobre soltar ou não o suspeito está nas mãos do juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande. O magistrado, responsável pelo processo, ainda não se manifestou nos autos sobre o requerimento.

O acidente - O condutor da moto, jovem de 19 anos, trafegava pela Rua Verdes Mares, quando no cruzamento com a Avenida Marechal Deodoro, foi surpreendido pelo Hyundai i30 conduzido por Landerson, na contramão da via. Os veículos colidiram frontalmente, sendo que a moto foi arrastada por quase 20 metros.

Câmera de segurança registrou o acidente (vídeo acima). O relógio marca 5h51 quando o suspeito aparece no canto do vídeo. Depois da batida, a moto e o condutor caem no meio da pista, no entanto, a policial em formação para em cima do i30. O motorista continua a dirigir e, segundo investigação inicial, chegou a percorrer cerca de um quilômetro até que a vítima caísse. Na sequência, continua fugindo.

Parado pela polícia minutos depois próximo ao aterro sanitário, na saída para Sidrolândia, Landerson alegou que havia atropelado uma capivara, no entanto, a polícia já tinha informações que se tratava do veículo envolvido no acidente. O carro do suspeito foi apreendido com o para-brisa completamente destruído e em razão da força da batida, o airbag chegou a ser acionado.

Nos siga no Google Notícias