A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

10/05/2011 16:08

Previsto para amanhã, julgamento de ex-major é adiado para segunda

Fabiano Arruda

Julgamento de Sérgio Roberto de Carvalho foi iniciado na semana passada

Na quinta passada, defesa conseguiu adiamento por falha na numeração das páginas do processo. (Foto: João Garrigó)Na quinta passada, defesa conseguiu adiamento por falha na numeração das páginas do processo. (Foto: João Garrigó)

O julgamento do ex-major da Polícia Militar, Sérgio Roberto de Carvalho, iniciado na semana passada e previsto para prosseguir amanhã, foi adiado para a próxima segunda-feira às 8 horas.

Segundo informações do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), o juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior atendeu pedido feito pela promotoria.

Um erro na paginação do processo foi o motivo do primeiro adiamento, na quinta-feira passada. A defesa alegou que, no decorrer da explanação do Ministério Público, a promotoria deveria informar a página correta das provas de acusações no processo, que tem 14 volumes.

A Auditoria Militar acatou o pedido. A promotoria, por sua vez, admitiu a falha. A promotora Tathiana Correa Perereira da Silva Façanha culpou o cartório da Auditoria Militar pelo “lapso e confusão na organização das páginas”.

Para a promotora, o erro ocorreu na renumeração após o desmembramento do processo principal, em que a defesa do ex-major arrolou testemunhas para serem ouvidas na Bolívia e na Colômbia.

A defesa, por sua vez, representada pelo advogado Ivan Lacerda, afirmou que o erro do cartório não influencia no processo, mas “a falta da numeração que indica onde estaria a prova do processo dificulta e confunde a defesa”, sobretudo, durante a apresentação da paginação dos slides utilizada pela promotoria.

Crimes - O ex-major é acusado de envolvimento em vários crimes, desta vez, é julgado por falsificação do selo ou sinal público constatado pelas investigações que resultaram na operação Las Vegas, deflagrada pela Polícia Federal em maio de 2009.

O julgamento de Carvalho só não aconteceu antes porque ele arrolou testemunhas para serem ouvidas na Bolívia e na Colômbia.

A operação Las Vegas que desmantelou a quadrilha apreendeu 18 veículos, um avião, 97 máquinas de caça níqueis, R$ 77 mil, US$ 1,7 mil, computadores e notebooks. A investigação teve início após denúncia anônima e confirmou crimes como furto, chantagem, exercício ilegal de comércio por oficial, prevaricação, cárcere privado e peculato.



UÉÉÉÉÉÉ....TODOS OS PRESOS QUE VEJO ESCOLTADOS NO FÓRUM ESTÃO ALGEMADOS....PORQUE ESTE NÃO??????
DOIS PESOS DUAS MEDIDAS????
 
GILMAR CANDIDO em 10/05/2011 10:11:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions