ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  03    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Primeiro dia de "tolerância zero" à covid tem 3 locais interditados na Capital

Quando decidiu voltar para a bandeira vermelha, prefeitura se comprometeu em reforçar fiscalização

Por Ana Oshiro | 18/06/2021 08:23
306 estabelecimentos foram fiscalizados e 3 interditados na noite desta quinta-feira (Foto: Divulgação/GCM)
306 estabelecimentos foram fiscalizados e 3 interditados na noite desta quinta-feira (Foto: Divulgação/GCM)

Depois de contrariar as normas estaduais e flexibilizar as restrições no combate à covid-19, a Prefeitura Municipal de Campo Grande prometeu "tolerância zero" e reforçou a fiscalização da Operação Toque de Recolher. Na primeira noite de reforço, nesta quinta-feira (17), 306 estabelecimentos foram fiscalizados, 3 foram flagrados desrespeitando o decreto municipal em vigor e acabaram interditados por 72 horas.

Em caso de reincidência,  o comércio será interditado por mais 7 dias, podendo ter o alvará cassado, caso seja flagrado uma terceira vez.

Outros 55 locais foram orientados sobre normas municipais (Foto: Divulgação/GCM)
Outros 55 locais foram orientados sobre normas municipais (Foto: Divulgação/GCM)

Um bar, na rua Joaquim Murtinho, foi punido por conta da aglomeração. O estabelecimento funcionava com música ao vivo após o toque de recolher e não respeitava o distanciamento mínimo entre os presentes.

Outros dois estabelecimentos, na Avenida Marquês de Pombal, região do Tiradentes, e na Rua da Divisão, no Jardim Parati, foram interditados por ainda estarem com clientes nas mesas durante o toque de recolher, que está valendo entre 21h e 5h.

A operação contou com a participação de 85 agentes, entre guardas municipais e servidores da Semadur, Vigilância Sanitária, Agetran, Procon Campo Grande e Polícia Militar de Mato Grosso do Sul. Espalhados em 30 viaturas, as sete regiões de Campo Grande foram percorridas pelos agentes.

Durante a "Operação Toque de Recolher", 117 pessoas foram flagradas na rua após o horário permitido e foram orientadas a voltarem para suas casas. No trânsito, 321 veículos, entre motos e carros, foram abordados, oito pessoas se recusaram a fazer o teste do bafômetro e três CNHs (Carteira Nacional de Habilitação) foram recolhidas. A operação foi feita pela GCM, em parceira com a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) e o Detran (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul).

No trânsito, 321 veículos foram abordados durante operação (Foto: Divulgação/GCM)
No trânsito, 321 veículos foram abordados durante operação (Foto: Divulgação/GCM)

A fiscalização ontem atuou em duas frentes: a volante e a de trânsito. No caso da primeira, a coordenação foi da Vigilância e visitou estabelecimentos diversos.

As equipes volantes se dividiram em nove grupos, sete deles responsáveis por uma região administrativa da Capital e outras duas atuando no Centro. Enquanto isso, a segunda frente da fiscalização teve como foco o trânsito e realizou blitze em pontos movimentados.

Observadores - As ações volante  foram acompanhadas pelo presidente regional da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), Juliano Wertheimer, e o primeiro-secretário da ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande), Roberto Oshiro.

Ambos atuaram como observadores do trabalho realizado pela fiscalização.

Desde de novembro do ano passado foram cerca de 200 autuações e 100 interdições, o que deve aumentar consideravelmente com as novas regras em vigor. "Acabou a orientação. Agora é tolerância zero até o fim do decreto, no dia 30", explicou o coordenador da Vigilância Sanitária de Campo Grande, Orivaldo Moreira.

Funcionários da Sefin (Secretaria Municipal de Finanças) também acompanharam as ações para aplicações de autuações relacionadas à atividade financeira dos estabelecimentos.

O prefeito Marquinhos Trad deu largada ontem as fiscalizações mais intensas.
O prefeito Marquinhos Trad deu largada ontem as fiscalizações mais intensas.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário