A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

24/11/2011 18:55

Prisão temporária vence e suspeitos pela morte de menina em boate serão soltos

Paula Maciulevicius

Em meio aos depoimentos, testemunhas apontam outra dupla que passou a ser investigada pela Polícia

Suspeitos apontam outros envolvidos e Polícia busca autores do tiro que acertou adolescente em frente à chácara. (Foto: Simão Nogueira) Suspeitos apontam outros envolvidos e Polícia busca autores do tiro que acertou adolescente em frente à chácara. (Foto: Simão Nogueira)

A dupla que está presa suspeita de envolvimento na morte de Leyciane Ribeiro Dias, de 17 anos, na chácara Maresias na madrugada do dia 16 vai ser solta nesta noite, quando vence a prisão temporária. Segundo o delegado do caso Valmir Moura Fé, ainda não há provas concretas para indicar que os suspeitos presos desde o dia 21, sejam os autores.

Ainda de acordo com a Polícia a dupla colaborou até o momento com as investigações fornecendo endereço fixo e se mostrando à disposição da delegacia. Conforme depoimento dos dois suspeitos, outra dupla pode estar envolvida.

“Eles negam a participação e indicam outros suspeitos. Precisamos investigar se foi eles ou realmente essas outras pessoas”, diz o delegado.

Desta outra dupla a Polícia tem a identificação de um que inclusive já tem ficha criminal. “Assim que eles forem localizados e tivermos informações mais concretas vamos pedir a prisão”, destacou Moura Fé.

Agora o trabalho da Polícia é de ouvir novamente depoimentos já prestados por duas meninas. Das 15 pessoas ouvidas até o momento, testemunhas que apontaram a dupla que está presa também serão investigadas.

O delegado explica que a Polícia quer saber como elas teriam reconhecido esses suspeitos. “Tem outra linha de investigação e pode ser mesmo que não seja aquela dupla”, ressalta o delegado. Mas a Polícia ainda não revela a outra vertente para não atrapalhar o andamento do caso.

Laudos - Na segunda-feira o delegado deve receber o laudo pericial do celular da vítima e em cima do resultado vai pedir a quebra de sigilo telefônico. “Serão analisadas todas as mensagens, a agenda”, acrescenta Moura Fé.

Caso - Aproximadamente às 03h do dia 16 deste mês, Leyciane e a amiga pegaram carona com dois rapazes. No carro, também estava a garota de 12 anos. Eles estavam dentro do veículo esperando na fila que se formou em frente a boate, quando motociclistas passaram atirando na direção do banco do passageiro atrás do motorista.

Um disparo acertou o braço esquerdo de Leyciane e transfixou o tórax da menina. Ela chegou a ser levada ao posto de saúde do bairro Aero Rancho, mas já chegou à unidade de saúde sem vida.

Segundo uma amiga da adolescente, ela já havia sido ameaçada de morte por um homem na semana passada.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions