ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Projeto oferece apoio para pessoas com deficiência que perderam a família

Abrigo irá atender até nove meninas e mulheres com deficiências em tempo integral

Gabriela Couto | 28/09/2022 13:13
Terreno doado pela Prefeitura de Campo Grande para a construção da casa de apoio da Pestalozzi. (Foto: Marcos Maluf) 
Terreno doado pela Prefeitura de Campo Grande para a construção da casa de apoio da Pestalozzi. (Foto: Marcos Maluf)

Uma casa para acolher meninas e mulheres com deficiência que foram tiradas da família - por terem sido vítimas de abusos sexuais, por exemplo - começará a ser construída nesta sexta-feira (30). A obra será lançada às 14h, no loteamento Praia da Urca. No terreno doado pela Prefeitura será levantada a Casa de Helena, da Associação Pestalozzi de Campo Grande.

O espaço irá garantir apoio integral para vítimas com este perfil. Segundo o Sinan (Sistema de Informação de Agravos de Notificação), sete mulheres deficientes sofrem abusos diariamente no país.

A destituição do poder familiar pode ocorrer em decorrência de óbito dos responsáveis, violência, abusos sexuais, entre outras questões. Quando a família perde a guarda, elas são enviadas a abrigos comuns, que não foram preparados para receber pessoas com deficiência, o que gera ainda mais traumas às vítimas.

As residências inclusivas caracterizam-se por oferecer cuidados especializados 24h por dia. O local terá capacidade para atender nove vítimas. Além da moradia com tudo incluso, também serão garantidos oficina para as atividades do projeto Moinho de Papel Artesanal, pomar e horta.

Projeto de arquitetura de como será a construção em terreno doado pelo município. (Foto: Divulgação) 
Projeto de arquitetura de como será a construção em terreno doado pelo município. (Foto: Divulgação)

“Todo o projeto arquitetônico e de funcionamento foi estruturado para que as usuárias sintam-se em casa. Este será o lar delas, por tanto, tudo está sendo pensado para que as futuras moradoras sejam acolhidas com muito carinho e sintam-se amadas todos os dias”, explica a presidente da Pestalozzi de Campo Grande, Gyselle Tanous.

Helena Antipoff - O nome da “Casa de Helena” é uma homenagem à Helena Antipoff, psicóloga russa que em 1929 mudou-se ao Brasil a convite do governador de Minas Gerais, e lá implantou a Fazenda do Rosário, utilizando-se da filosofia de Johann Heinrich Pestalozzi, patrono da entidade que presta trabalho com crianças ditas excepcionais.

(*) Matéria alterada às 17h01 para correção de informação.

Nos siga no Google Notícias