ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Queda nos casos da covid-19 deve chegar só no fim de agosto, avalia secretário

Campo Grande tingiu nesta terça-feira (28) a marca de 8.881 contaminados e 106 mortes em razão do novo coronavírus

Por Clayton Neves | 28/07/2020 13:25
José Mauro Pinto, secretário municipal de saúde. (Foto: Kísie Ainoã) 
José Mauro Pinto, secretário municipal de saúde. (Foto: Kísie Ainoã)

A queda na média do número infectados pela covid-19 deve chegar em Campo Grande no fim de agosto. É o que prevê o secretário municipal de saúde, José Mauro Pinto. Para o prognóstico, o chefe da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) leva em conta “curva natural” de contágio em cidades que já apresentam redução nas notificações da doença.

“Vai ter curva natural aqui assim como foi na maioria das cidades que, a partir da trigésima semana, apresentaram queda. Acredito que da metade para o fim de agosto a gente comece a ter redução de casos”, disse.

Ainda segundo a secretário, mesmo com a previsão diversos fatores podem influenciar na curva, entre eles, a taxa de isolamentos dos campo grandenses, que por sua vez, não traz motivação. Nesta segunda-feira (27), a cidade atingiu o segundo pior desempenho entre as capitais do País, com índice de 37,03%.

“Ainda falta isolamento e precisamos do apoio da população porque isso reflete nos números. Acidentes de trânsito, por exemplo, estão em alta e provocam aumento na ocupação de leitos. “, comenta.

Ao lado de 10 outros estados, Mato Grosso do Sul tem progressão de alta nos números da covid-19. Cidade com mais casos no Estado, a Capital atingiu nesta terça-feira (28) 8.881 contaminados e 106 mortes em razão da doença.

 Diante do cenário negativo e enquanto a queda de contágio não chega, o prefeito Marquinhos Trad afirmou nesta terça-feira (28) que estuda, inclusive, decretar Lei Seca em Campo Grande nos fins de semana e proibir a venda de bebidas alcoólicas.