A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

02/12/2013 13:29

Regionalização: Campo Grande vai dividir UPAs com nove municípios

Aline dos Santos e Kleber Clajus
Além de atender pacientes da Capital, UPA vai atender paciente de nove cidades (Foto: Pedro Peralta/Arquivo)Além de atender pacientes da Capital, UPA vai atender paciente de nove cidades (Foto: Pedro Peralta/Arquivo)

A SES (Secretaria Estadual de Saúde) publicou resolução para a regionalização de três UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) de Campo Grande, que passam a ser divididas com nove municípios do interior.

A publicação coloca em prática decisão da CIB (Comissão Intergestores Bipartite), realizada no dia 14 de novembro. A unidade é destinada aos atendimentos de urgência e emergência, num serviço intermediário entre a atenção básica e a unidade hospitalar.

De acordo com a resolução 84, publicada na edição de hoje do Diário Oficial do Estado, a UPA 24h Dr. Walfrido Arruda (Coronel Antonino) será referência para as cidades de Bandeirantes, Jaraguari, Figueirão, Paraíso das Águas e Chapadão do Sul.

A unidade Santa Mônica, que está sendo construída na região da Vila Popular, será referência para os municípios de Terenos, Guia Lopes da Laguna e Bodoquena. A UPA das Moreninhas - que está praticamente pronta, mas precisa de outra licitação para ser concluída e ativada - será referência para o município de Maracaju. Das três, somente a do Coronel Antonio está em funcionamento.

Para o diretor-presidente da ABCG (Associação Beneficente de Campo Grande), Wilson Teslenco, a medida será benéfica para a Santa Casa, cujo pronto-socorro vive lotado.

“Vai reduzir o fluxo para a Santa Casa, que fica com os atendimentos na alta complexidade”, afirma. Conforme dados do hospital, dos seis mil pacientes que dão entrada no Pronto-Socorro por mês, 23% poderiam ser atendidos nos postos de saúde. Em janeiro, esse grupo perfazia 40%.



Realmente, nada é tão ruim que não possa piorar. Teremos então mais pessoas sofrendo em longas horas de espera por atendimento médico deficitário, isto, quando ha médicos nas UPAs . Completo desrespeito, não apenas para om os campo-grandenses, mas também para com os moradores dos municípios envolvidos, quando tiverem que buscar atendimento médico na capital.
 
Fernando silva em 02/12/2013 18:55:29
Fico imaginando que sem dividir nada o atendimento é uma precariedade , quero só ver quando começar a dividir com outros municípios...
 
Naira Salles em 02/12/2013 18:26:37
Isto só pode ser brincadeira!
 
Cláudio Fonteles em 02/12/2013 14:12:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions