ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  30    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Sabiá recebe alta, ganha quarto para morar e agora luta para se aposentar

Amigos se reuniram e fazem campanha para arrecadar móveis e aposentar o Sabiá, "figura" conhecida da Capital

Por Ana Paula Chuva | 22/10/2020 17:16
Sabiá na saída do Hospital Regional. (Foto: Reginaldo Viana)
Sabiá na saída do Hospital Regional. (Foto: Reginaldo Viana)

Antônio Pereira da Silva, o Sabiá, recebeu alta após 14 dias internado no Hospital Regional para tratar covid-19. Ele testou positivo para a doença no dia 7 de outubro e chegou a fugir da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Jardim Leblon antes de ser levado para o hospital.

Na saída do hospital nesta quinta-feira (22) o Sabiá foi recepcionado por amigos e levados para seu novo lar, um quartinho na Vila Carvalho que foi alugado para abrigar a figura conhecida da Capital.

“Nós da Igreja Santo Antônio nos reunimos e decidimos ajudar o Sabiá, conheço ele há muitos anos. Conseguimos alguns móveis já e depois de bater em 4 portas consegui o quartinho lá na Vila Carvalho para ele não precisar dormir no banco da UPA”, disse o consultor de vendas Reginaldo Viana, 48 anos.

 Sabiá foi levado pelos amigos Reginaldo e Diego Lani até o novo lar, mas mal chegou já correu para a banquinha na Rua Barão do Rio Branco.

“Ele chegou no quartinho ficou todo feliz, mas correu para a banquinha dele, disse que precisava trabalhar. Graças a Deus e aos cuidados no hospital ele está bem”, contou.

Cama e geladeira no quartinho onde Sabiá vai morar. (Foto: Reginaldo Viana | Direto das Ruas)
Cama e geladeira no quartinho onde Sabiá vai morar. (Foto: Reginaldo Viana | Direto das Ruas)

Para o lar do Sabiá os amigos já conseguiram uma cama, uma geladeira e uma televisão, a intenção agora é conseguir um guarda-roupas e ajuda para custear o aluguel de R$ 450 até a saída da aposentadoria.

“Vamos tentar a aposentadoria do Sabiá agora. Mas a ideia agora é custearmos o aluguel e a luz para ele. Não vamos colocar fogão nem micro-ondas para evitar acidentes, então precisamos ajudar com a alimentação também”, declarou.

Reginaldo explicou ainda que o contrato de aluguel foi feito por um ano, mas com período de experiência de 30 dias para adaptação da figura que ele chama de “filho” em tom de brincadeira.

“Conheço o Sabiá há muitos anos, ajudei ele a fazer os documentos e agora conseguimos descobrir o nome do pai e da mãe, vamos alterar para tentar essa aposentadoria, até brinco que ele é meu filho. Mas essa conquista do aluguel é de nós irmãos da igreja mesmo, não fiz sozinho. O período de experiência é para adaptação dele mesmo”, destacou.

Quem quiser ajudar o Sabiá pode entrar em contato direto com Reginaldo pelo telefone (67) 99248-0536.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário