ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  12    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Secretaria vai investigar se houve falha no atendimento da 8ª vítima de covid

Marido afirma que ligou em número disponibilizado pela Sesau, mas ninguém atendeu

Por Anahi Zurutuza | 05/06/2020 18:29
Família acompanha de longe o enterro de Marilda, no Cemitério Jardim das Palmeiras (Foto: Henrique Kawaminami)
Família acompanha de longe o enterro de Marilda, no Cemitério Jardim das Palmeiras (Foto: Henrique Kawaminami)

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) vai investigar se houve alguma falha no atendimento de Marilda Monteiro de Souza, de 51 anos, a 8ª vítima da covid-19 em Campo Grande, 21ª em Mato Grosso do Sul. O marido Evandro Pereira de Lima, 41, disse que por volta das 18h de ontem (4), quando a mulher apresentou piora, tentou várias vezes falar no número disponibilizado para teleconsultas e não conseguiu.

A secretaria apura, por exemplo, se o número discado pela família foi o correto, uma vez que “a teleconsulta funciona de 6h às 00h e tem cerca de 20 servidores por turno”. “Na data de ontem, não houve nenhuma sobrecarga nas linhas que justificasse a inoperância do serviço”, informou.

“A minha revolta é que eles deram um número para ligar caso acontecesse alguma coisa grave e não atenderam quando a gente ligou. Ela vai me fazer muita falta porque era minha parceira, 22 anos não são 22 dias”, declarou Evandro ao Campo Grande News, no Cemitério Jardim das Palmeiras, pela manhã.

A Sesau investiga a possibilidade de o marido ter ligado para o Disk Covid, onde são agendados os exames no drive thru para quem apresenta sintomas e suspeita estar com a doença.

O positivo para o teste feito por Marilda saiu no dia 1º e ela passou a ser monitorada a partir do dia 2, segundo a Sesau. Aí aparece outra divergência. A SES (Secretaria de Estado de Saúde) divulgou hoje que a paciente apresentou os primeiros sintomas no dia 26 e que o resultado do exame saiu no dia 29.

A secretaria municipal registra ainda que o último contato com a paciente foi nessa quinta-feira (4), às 15h40, quando ela relatou estar bem, sem nenhum sintoma grave.

O marido afirma que Marilda começou a passar mal por volta das 18h. Mais tarde, ela foi levada para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Almeida, onde deu entrada às 21h35, com sudorese e dificuldade de respirar. Teve uma parada cardiorrespiratória, foram feitas tentativas de ressuscitação sem êxito e o óbito foi constatado às 22h15.

A Sesau ressalta ainda que “os médicos do sistema da teleconsulta sempre orientam o paciente a procurar o atendimento médico quando tiver algum sintoma agravado”.

Números – Em Campo Grande, a teleconsulta atende pelo 2020-2170. O serviço atende pessoas que estejam com sintomas e dúvidas sobre como proceder, mas para os casos graves (dificuldade para respirar, por exemplo), a orientação é pedir socorro no Corpo de Bombeiros (190), no Samu (192) e ir direto a uma unidade de saúde 24 horas. Já o Disk Covid, para agendar o teste em caso de suspeita, pelo 3311-6262.