ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, SEXTA  03    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Segundo lote de vacina pentavalente chega aos postos nesta terça-feira

Em uma semana, Mato Grosso do Sul recebeu 31 mil doses da vacina

Por Fernanda Palheta | 21/01/2020 10:06
 De acordo com a Sesau (Secretária Municipal de Saúde Pública), cada unidade receberá cerca de 40 doses da vacina (Foto: Marcos Maluf)
De acordo com a Sesau (Secretária Municipal de Saúde Pública), cada unidade receberá cerca de 40 doses da vacina (Foto: Marcos Maluf)

O segundo lote, com 2.950 doses da vacina pentavalente, começou a ser distribuído e estará disponível para a população nesta terça-feira (21) nos postos de saúde de Campo Grande. De acordo com a Sesau (Secretária Municipal de Saúde Pública), cada unidade receberá cerca de 40 doses da vacina.

Em nota, a pasta apontou que a distribuição começou na manhã desta segunda-feira, mas sem vacinação. A expectativa é que até o final da manhã de hoje, é que todas as unidades tenham recebido o quantitativo estipulado da pentavalente e já estejam atendendo a população novamente.

A secretaria ainda informou que a distribuição será feita de forma igualitária para evitar que qualquer usuário da rede se sinta prejudicado por não receber a vacinação.

O primeiro lote com 2 mil vacinas chegou a Capital na semana passada. Com 28 doses por posto, o estoque acabou em poucas horas entre a última segunda (14) e terça-feira (15). Em Campo Grande o estoque estava zerado deste agosto do ano passado. O Município chegou a receber uma reposição pontual em novembro, mas a quantidade não foi suficiente para abastecer a demanda reprimida.

Regularização - Em uma semana, Mato Grosso do Sul recebeu 31 mil doses da vacina. No dia 10 de janeiro foram disponibilizadas 15 mil. No dia 16 foram entregues mais 16 mil doses.

Segundo a SES (Secretaria Estadual de Saúde), um novo carregamento deve chegar em fevereiro, mas sem uma data prevista. A secretaria solicitou ao Ministério da Saúde 40 mil doses. Com a reposição do estoque, a expectativa é normalizar a oferta da pentavalente em março deste ano.

Falta da vacina - De acordo com o Ministério da Saúde, a oferta esteva irregular devido a problemas com o fornecedor. As doses são adquiridas via OPAS (Fundo Estratégico da Organização Pan-Americana da Saúde). Não existe laboratório produtor da vacina no Brasil.

Em julho de 2019, lotes do laboratório pré-qualificado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) foram reprovados no teste de qualidade do INCQS (Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde) e análise da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Em agosto, o Ministério da Saúde solicitou reposição do produto, mas, na época, não havia disponibilidade imediata.

Pentavalente - A vacina pentavalente é a combinação de cinco vacinas individuais em uma e garante a proteção contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e contra a bactéria haemophilus influenza tipo b, responsável por infecções no nariz, meninge e na garganta. As crianças devem tomar as doses aos 2, aos 4 e aos 6 meses de vida.