A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 17 de Agosto de 2019

24/01/2013 17:24

Servidores reclamam de coação e sindicato cogita assembleia

Nícholas Vasconcelos
Servidores protestaram contra corte suspendendo atendimento na Central. (Foto: Luciano Muta)Servidores protestaram contra corte suspendendo atendimento na Central. (Foto: Luciano Muta)

Servidores municipais que trabalham na Central de Atendimento ao Cidadão de Campo Grande denunciam que são vítimas de coação depois da manifestação que paralisou o atendimento nesta quarta-feira (23). Com um salário bruto de R$ 700, os funcionários tiveram cortada bonificação de R$ 306.

Funcionários que entraram em contato com o Campo Grande News reclamam que há remanejamento para outros órgãos, com assédio moral e perseguição. “A ordem é: não concordou, o nome vai parar na mesa do Bernal”, disse um servidor que prefere não se identificar.

O corte atinge 450 funcionários municipais, 50 da Central e 400 administrativos da Educação, que garantem não ter recebido abono de R$ 150.

No quadro da Prefeitura de Campo Grande, os funcionários da Central do Cidadão e os administrativos entram nas categorias 1 a 13, correspondendo a servidores em cargos de níveis fundamentais e médios

Segundo Marcos Tabosa, presidente do Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande), os servidores serão ouvidos para saber qual é a situação enfrentada dentro da Central. Ontem, Marcos foi ao local, mas preferiu não se reunir porque os servidores estavam conversando com o secretário Ricardo Ballock.

“Vamos apurar o que está acontecendo, mas será tomada providência para que eles fiquem no local”, disse.
Tabosa lembrou que os servidores trabalham para atender a população e que têm seus direitos.

Ele disse que o Executivo não procurou o sindicato para falar sobre o corte dos bônus dos servidores, que se for confirmado, a categoria tomará providências. “Se efetivar o corte, vamos convocar uma assembleia dos servidores”, disse.

O prefeito Alcides Bernal (PP) disse na quarta-feira (23) que o corte apenas como “mal-entendido” e que os servidores não podem reivindicar o beneficio se o pagamento ainda não foi pago.



Marcos Paulo! Não sei quem é o senhor mas pela leitura do que li me pareceu ser um grande puxa-saco da atual administração. Caso o senhor seja assalariado gostaria que se imaginasse recebendo seu salário no final do mês com um corte superior a 30%, sem direito a prévio-aviso e reclamação. Qual seria sua reação? A minha avó também dizia que "pimenta nos olhos dos outros é refresco".
 
oscar mendes em 25/01/2013 23:47:01
Marcos Paulo... perdeu uma grande oportunidade de ficar calado... se foi dado o beneficio é porque o Município tem conciência que o que eles ganham não é o suficiente... a desmotivação no trabalho gera um péssimo atendimento na qual todos reclamam, que por sinal, é motivo de greves e outros atos que prejudica a população... quem sabe se o dinheiro da folha de pagamento da prefeitura fosse melhor distribuido esse tipo de reinvidicação fosse desnecessária... poucos ganham muitos e sua grande maioria (que diga-se de passagem são os que mais trabalham) ganham se quer o necessário para pagar as contas... não sou servidor publico, mas concordo com a reinvidicação.
 
Marcio Cavanha em 25/01/2013 08:40:55
Senhor Marcos Paulo, todos nós estamos cientes sobre a instabilidade de uma bonificação, porém, a mesma foi garantida pelo supersecretário de receita e govero, Gustavo Freire, e tal garantia foi propagada por todo o setor de atendimento. Quanto à possibilidade de exoneração, mesmo os que estão praticamente aposentando não desconsideram tal oportunidade, inclusive não hesitariam. O que gostaria que entendessem, é que a bnificação foi garantida, e por estabelecermos contato diretamente com a folha de pagamento, tivemos a informação de que nem mesmo os ofícios requerendo tal bonificação haviam sido entregue, o que foi confirmado no mesmo dia, no próprio gabinete do secretári, onde ele apresentou os ofícios, que não haviam sido encaminhados para a respectiva competência.
 
André Ruiz em 25/01/2013 08:30:55
"Pimenta nos olhos dos outros é refresco" .... dizia tb minha saudosa avó! Queria saber se retirassem 40% do salário do Sr. Marcos, se ele iria ficar quietinho!!
 
Andressa Augustin em 25/01/2013 08:26:54
Qdo vc entra em um emprego, vc ja entra sabendo o q vai ganhar, quais sao as condiçoes de trabalho, se concordou com aquilo tem q aceitar , se nao aceitar pede a conta e vai procurar outro serviço
 
Jose Roberto da Silva em 25/01/2013 07:56:49
É com pensamentos como este, do Sr. Marcos Paulo Hypollito, que a política do nosso querido Estado do MS não vai para frente. Não podemos tachar servidores públicos como um qualquer, pois são profissionais capacitados para atendimento ao serviço público. Se não estão capacitados o Estado, como um todo, tem o dever de capacitá-lo. Quanto ao rendimento salarial, é justo o descontentamento quando tal fato acontece. Todos nós temos dívidas a serem quitadas e uma redução de R$ 150,00 ou ou mais com certeza pesa muito no orçamento, principalmente para quem recebe os ditos R$ 700,00. Sem falar naqueles que receberam o corte de mais 50% do salário bruto. Sr. Marcos Paulo Hypollito, se você é empregado faça um corte de 50% em seu salário, se você é empresário faça um corte de 50% do seu Pró-labore
 
João Kuistrs em 25/01/2013 07:44:33
esse é o prefeito que vai olhar o povo bem feito, vcs não estava metendo aboca no antigo prefito agora aguenta
 
maria neves em 24/01/2013 21:54:50
Cláudio, sou funcionário público estadual há sete anos. E você não trabalha de graça, você é pago para isso, tem estabilidade se já tiver passado pelo estágio probatório, plano de saúde e outros benefícios que tantos outros trabalhadores da iniciativa privada não tem. Meu salário de nível médio também não condiz com minhas atribuições, por isso estudo para obter um diploma de nível superior visando um futuro melhor para mim e minha família. Não concordo e nunca participei de greve, pois sempre soube quanto iria ganhar desde quando fui aprovado. Não sou comissionado, não tenho padrinhos políticos e nem participo de conxavos ou esquemas. Acho que falta sim um movimento organizado para acabar com a farra dos plantões fantasmas, dos cargos comissionados e outras falcatruas. Boa sorte na greve.
 
Marcos Paulo Hypollito em 24/01/2013 19:28:22
Marcos Paulo, com certeza você não é funcionário público. Você não sabe o que é valorização do servidor público? Nem relógio trabalha de graça. Acredito que seu rendimento é muito maior do que o que eles estão pleiteando.
 
Claudio Barbosa em 24/01/2013 18:48:55
Bônus, como o próprio nome diz - é um "plus" a mais, da mesma forma que um abono. Não está incorporado ao salário-base, e pode ser retirado a qualquer momento. Sou da seguinte opinião, que minha saudosa avó já dizia : "A porta da rua é serventia da casa". Desde quando passaram no concurso, já sabiam exatamente pelas informações constantes no edital quanto receberiam de Salário-Base. Acha que ganha pouco ? Não está satisfeito com as condições de trabalho ? Nada impede que cada um peça a exoneração e vá distribuir currículo de porta em porta, até conseguir algo que lhe apeteça. Falta sim é gente com vontade de trabalhar sem reclamar em todos os órgãos públicos, em qualquer esfera (Municipal, Estadual e Federal)
 
Marcos Paulo Hypollito em 24/01/2013 18:28:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions