ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  12    CAMPO GRANDE 19º

Capital

Sexta com toque de recolher às 20h tem bêbados, briga e comércios abertos

Guarda municipal foi baleado durante uma confusão próximo à Avenida Guaicurus. Ele só percebeu o ferimento quando chegou em casa

Por Geisy Garnes | 11/07/2020 09:29
Guardas orientaram 106 estabelecimentos a fechar nesta noite e abordaram 711 pessoas (Foto: Henrique Kawaminami/ Arquivo)
Guardas orientaram 106 estabelecimentos a fechar nesta noite e abordaram 711 pessoas (Foto: Henrique Kawaminami/ Arquivo)

O primeiro dia do fim de semana com toque de recolher às 20 horas em Campo Grande foi marcado por confusão, pessoas nas ruas e estabelecimentos abertos além do horário permitido e pelas prisões de seis motoristas por embriaguez. Um guarda municipal ainda foi baleado durante uma briga, na Rua Ronald de Carvalho, próximo ao cruzamento com a Avenida Guaicurus. O possível autor dos disparos foi um homem de 33 anos.

Segundo o boletim de ocorrência, moradores da região chamaram a Polícia Militar por volta das 23 horas desta sexta-feira (10) e denunciaram uma briga na rua. Uma das testemunhas era o próprio guarda municipal, de 37 anos. Ele contou que um dos envolvidos era o condutor de uma Mercedes que chegou a sacar uma arma e disparar três vezes em sua direção.

O suspeito foi localizado e abordado pelos policiais. Nenhuma arma foi encontrada com ele, mas os militares notaram que o motorista estava visivelmente embriagado e o convidaram a fazer teste do bafômetro. O resultado identificou o consumo de bebidas alcoólicas, com 0,52 mg/l, valor que configura crime de trânsito. Por isso, o homem foi preso em flagrante.

Pouco depois, a coordenadora da Guarda Civil Metropolitana de Campo Grande procurou a delegacia em que o caso foi registrado, a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Cepol. Ela contou que só quando chegou em casa o colega percebeu um ferimento na região da virilha, possivelmente causado pelos disparos efetuados pelo suspeito durante a confusão. Por isso, ele procurou atendimento na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Bairro Tiradentes, onde passou por exames clínicos e um raio-x.

Detalhes sobre o estado de saúde do guarda municipal ou da briga, não foram divulgados. O caso agora é investigado como disparo de arma de fogo, lesão corporal, porte ilegal de arma e conduzir veículo com capacidade psicomotora altera.

Noite movimentada – Além da confusão que terminou com o Guarda Municipal ferido, outras ocorrências de aglomeração foram registradas na cidade. As equipes de fiscalização do toque de recolher tiveram uma noite movimentada na Capital e segundo balanço divulgado nesta manhã, orientaram 106 estabelecimentos a fechar, mandaram 711 pessoas  para dentro de casa e levaram sete para a delegacia por descumprir o decreto municipal.

A Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) encontrou ainda 16 estabelecimentos com alvarás vencidos durante as ações e outros seis acabaram notificados por descumprir o decreto que vale desde quarta-feira, dia 8 de julho e determina o fechamento às 20 horas.

Crimes de trânsito – Os motoristas que circulavam nas ruas da cidade após o horário permitido pelo decreto também foram alvo de operações policiais. Cinco foram presos em flagrante nesta noite.

Por volta das 20h50, policiais militares que faziam fiscalização na região do Indubrasil abordaram um homem de 35 anos que trafegava pela BR-262. Ele dirigia um Chevrolet Kadett e aceitou fazer o teste do bafômetro. Foi submetido ao exame duas vezes, ambos deram positivo para consumo de álcool e por isso, o motorista foi preso em flagrante.

Do outro lado da cidade, na Avenida Gury Marques, quatro motoristas foram levados para a delegacia pelo mesmo motivo. Todos foram parados em blitz da Operação Lei Seca. O primeiro abordado, de 58 anos, dirigia um Fiat Uno, fez o teste e foi preso após o resultado apresentar 0,55 mg/l de álcool no organismo.

Um homem de 49 anos, condutor de um Gol, também foi detido após o teste indicar 0,41 mg/l de álcool em seu organismo. Um motociclista de 44 anos se recusou a fazer o bafômetro, mas como apresentava visíveis sinais de embriaguez, “como olhos vermelhos, dificuldade no equilíbrio, falta de coordenação motora, fala alterada e odor etílico”, foi levado à delegacia e autuado em flagrante.

Os policiais também abordaram um jovem de 29 anos que dirigia um Gol. O teste feito pelo suspeito indicou 0,46 mg/l. Assim como os outros motoristas, dele foi levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Cepol.