ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  23    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Travesti morta durante lipoescultura veio da Itália para o procedimento

Por Ana Paula Carvalho | 03/02/2012 11:19
Cirurgia foi feita no Hospital São Lucas (Foto: Marlon Ganassin)
Cirurgia foi feita no Hospital São Lucas (Foto: Marlon Ganassin)
Pabricia vivia na Itália e veio para o Brasil para fazer os procedimentos cirúrgicos. (Foto: Arquivo de família)
Pabricia vivia na Itália e veio para o Brasil para fazer os procedimentos cirúrgicos. (Foto: Arquivo de família)

A travesti Pabrícia, de 26 anos, que morreu após uma lipoescultura no hospital infantil São Lucas, em Campo Grande, morava na Itália e veio a Campo Grande apenas para o procedimento, segundo o médico que realizou a cirurgia, Paulo de Oliveira Lima.

Ainda de acordo com o médico, Pabrícia, que no registro é Rosenildo Martins, passou por um procedimento normal, que durou cerca de quatro horas, mas depois da cirurgia teve uma queda de pressão. A equipe médica tentou reanimá-lo, mas ele não respondeu aos estímulos.

Rosenildo tem família em Cuiabá, mas optou por passar pela lipoescultura e pela retirada de silicone aqui.

Segundo o médico, que faz cirurgias plásticas há 35 anos, a travesti tinha “muito silicone pelo corpo”. Ele (médico) vai aguardar o laudo do IML (Instituto Médico Legal) para saber a causa da morte.

O delegado Miguel Said, da 1ª Delegacia de Polícia, vai investigar se a morte foi causada por uma complicação do procedimento ou se foi por negligência.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário