ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Helicóptero do Abadia que caiu com PMs é levado para perícia

Equipes do Cenipa e Dracco fizeram primeiras verificações e agora aeronave passará por perícia mais detalhada

Por Dayene Paz e Bruna Marques | 19/04/2024 11:35
Helicóptero da Casa Militar em cima de guincho. (Foto: Marcos Maluf)
Helicóptero da Casa Militar em cima de guincho. (Foto: Marcos Maluf)

O helicóptero modelo Bell 206, que caiu no final da manhã de ontem (18), no Aeroporto Santa Maria, em Campo Grande, já foi retirado do local para perícia mais detalhada. A informação foi repassada pela delegada Ana Cláudia Medina, do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado), que acompanhou equipe do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) - órgão federal que esteve no local de queda na manhã desta sexta-feira (19).

O Dracco e o Cenipa fizeram as primeiras verificações no local. Mas agora só uma perícia interna no helicóptero deve apontar o que causou a falha no motor, ocasionando no acidente. “Foi um incidente grave. A aeronave sofreu danos de grande monta, mas o que importa é que todas as vidas foram salvas e estão bem. Foi uma pane de motor e o piloto fez todo o procedimento para chegar com vida ao solo, mas ainda é muito cedo para dizer o que aconteceu”, pontuou Medina.

Queda - A aeronave fazia um voo semanal de giro – realizado para preservação do equipamento – e estava há 20 minutos no ar quando sofreu uma pane no motor. Segundo o Governo do Estado, o helicóptero caiu no momento do pouso e pilonou – nome dado para uma espécie de capotagem.

Helicóptero em cima de guincho e será levado para hangar. (Foto: Marcos Maluf)
Helicóptero em cima de guincho e será levado para hangar. (Foto: Marcos Maluf)

No helicóptero estavam dois coronéis, um subtenente e um sargento, sendo dois deles pilotos e dois tripulantes. Um PM foi socorrido com dores na lombar. O acidente aconteceu na cabeceira da pista. De acordo com o Corpo de Bombeiros, três militares que estavam na aeronave são de Mato Grosso do Sul e o quarto de fora do estado, no entanto, não soube dizer de que estado.

Quando a equipe chegou ao local, havia vazamento de combustível que foi contido. "Fomos acionados para essa queda e quando chegamos três militares estavam no local e o quarto já tinha voltado para o hangar. Quando recebemos o chamado, a informação era de que a aeronave estava com risco de explosão. O piloto disse que houve uma pane no motor, mas a causa da queda só a perícia que pode afirmar", disse o segundo-tenente dos bombeiros, Felipe Bandeira.

A aeronave - Com prefixo PT-HBM, o helicóptero pertencia ao traficante colombiano Juan Carlos Ramirez Abadia e foi cedida ao Governo de Mato Grosso do Sul em 2007 depois de ser confiscada pela Justiça Federal.

O helicóptero foi entregue à Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul), como fiel depositária, há 17 anos. A aeronave foi cedida até que os processos contra Abadia transitem em julgado. Ele só pôde ser usado após o pagamento do seguro obrigatório no valor de R$ 105 mil e tem capacidade para três passageiros e dois tripulantes. O helicóptero foi avaliado, na época, em R$ 1 milhão.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias