ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Vítima recebeu ligação misteriosa antes de ser encontrada decapitada

Rudnei da Silva Rocha, o “Babidi”, 22 anos, foi encontrado morto na noite de sábado (7)

Guilherme Henri e Bruna Kaspary | 09/10/2017 08:43
Rudnei da Silva Rocha, o “Babidi”, 22 anos (Foto: Arquivo Pessoal)
Rudnei da Silva Rocha, o “Babidi”, 22 anos (Foto: Arquivo Pessoal)

Antes de ser encontrado morto e sem cabeça, Rudnei da Silva Rocha, o “Babidi”, 22 anos, recebeu uma ligação misteriosa. Questionado pela família, o rapaz apenas disse “é coisa minha” e depois desapareceu.

O relato é de sexta-feira (6) e um dia depois o corpo de “Babidi” foi achado em uma entrada vicinal na região do Indubrasil em Campo Grande.

Para o irmão, Rudcley da Silva Rocha, 27 anos, a vítima não tinha qualquer envolvimento com facções criminosas, mas frequentemente recebia ligações que intrigavam a todos. “Ele [Rudnei] era muito família. Contava tudo para nós, só não sobre essas ligações que recebia”, revela.

Sobre o dia que desapareceu, o irmão detalha, que antes de Rudnei sair de casa, sua mãe o chamou para conversar. Ela perguntou o que estava acontecendo, porém o rapaz voltou a dizer “é coisa minha”.

“Fui a polícia e registrei o desaparecimento. No dia seguinte voltei para saber se acharam algo, foi quando me disseram que ele estava morto”, lamenta.

Corpo foi encontrado em uma estrada vicinal no Indubrasil (Foto: Direto das Ruas)
Corpo foi encontrado em uma estrada vicinal no Indubrasil (Foto: Direto das Ruas)

Questionado, o irmão revela que Rudnei usava drogas, mas um problema de saúde o obrigou a parar. “Entre junho e julho deste ano ele quase morreu. Precisou fazer uma drenagem no pulmão e ficou internado 32 dias no Hospital Regional. Lá, o médico disse que se ele não parasse de usar drogas com certeza morreria”, diz.

Fã de tereré com os amigos em frente de casa, Rudnei nasceu e foi criado no bairro Moreninha onde também trabalhava com a mãe. “Minha mãe fazia salgados e ele saia para vender. No fim do dia entregava todo o dinheiro certinho”, conta.

Decapitado – O corpo foi encontrado por volta das 22h, enrolado em um colchão, separado da cabeça.

Segundo o delegado plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro, Enilton Pires Zalla, moradores da região acionaram a Polícia Civil. Assim que os investigadores chegaram ao local, reconheceram o rapaz desaparecido.

Antes mesmo de encontrarem o corpo, as equipes de investigação já trabalhavam com a hipótese de execução. O motivo: a guerra entre facções.

"Babidi" nasceu e foi criado no bairro Moreninhas (Foto: Arquivo Pessoal)
"Babidi" nasceu e foi criado no bairro Moreninhas (Foto: Arquivo Pessoal)

“Pela minha experiência e pelo que foi apurado até o momento, a execução pode ser motivado por envolvimento com facções criminosas”, explicou Zalla.

Sem falar em siglas, o delegado afirmou que a suspeita é de que um grupo criminoso tenha descoberto a participação de Rudnei em uma organização rival.

Os peritos não encontraram vestígios de sangue, o que confirma a suspeita de que a vítima foi assassinada em outro local e deixada na estrada vicinal. Ainda conforme Zalla, Rudnei foi assassinado cerca de seis horas antes e apresentavam sinais de tortura. “Possivelmente ele foi torturado antes de morto”.

Rudnei possuía uma longa ficha criminal com passagens por tráfico de drogas e furto.

Nos siga no Google Notícias