A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

02/10/2012 16:49

Vivo corta sinal perto de presídio e diz que moradores terão estação móvel

Gabriel Neris e Elverson Cardozo
A comerciante Ana Aparecida da Silva reclama que o corte sinal prejudica seu trabalho (Foto: Rodrigo Pazinato)A comerciante Ana Aparecida da Silva reclama que o corte sinal prejudica seu trabalho (Foto: Rodrigo Pazinato)

A operadora Vivo  suspendeu, nesta tarde, o sinal de celular na região do Presídio de Segurança Máxima, no jardim Noroeste, em Campo Grande, informou que disponibilizará uma ERB (Estação Rádio Base) móvel em caráter provisório para os moradores da região. O corte foi determinado há um mês, para evitar que o sinal chegue aos presídio e seja usado pelos dentetos.

De acordo com assessoria de imprensa da operadora, a ERB móvel garantirá a utilização dos serviços de voz e dados durante a transferência dos equipamentos da torre para outro local.  A expectativa da empresa é que a estação móvel estará disponível até a próxima segunda-feira (8).

Os moradores que residem próximo ao presídio se depararam na tarde desta terça-feira (2) com o sinal de internet e telefonia móvel oscilando. A operadora informou que desligou o sinal, após a determinação da Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), as 11h45 de hoje (2). 

A assessoria da Vivo informou que a oscilação é normal, já que os aparelhos recebem sinal de outras ERB da região. 

A decisão de desligar o sinal foi tomada após reunião de técnicos de empresa, em Brasília. A medida é coibir os crimes comandados de dentro do presídio com o uso de celulares. 

A assessoria de imprensa da Tim também se manifestou. “O sinal de voz e dados não será afetado. A operadora é atendida por uma torre própria distante 1,65 quilômetros da área do presídio. Todos os clientes desta localidade continuarão a utilizar os serviços oferecidos pela operadora dentro da normalidade”, se manifestou a empresa, através de nota oficial. 

Reclamação – A manicure Carla Galdino, 29 anos, tem as linhas da Claro, Vivo e Oi. Ela conta que o único sinal que funciona é da Claro, mas com dificuldade, enquanto as outras operadores não funcionam desde as 10h30 de hoje. 

Como outros moradores, ela questiona e crítica a medida de suspensão dos sinais. “Aqui tem moradores, tem cidadãos. A gente paga pelo que usa. Acho errado cortar o sinal, deveriam cortar dentro do presídio”, reclama. 

Proprietária de um mercado, Luciana de Almeida, 32, diz que tem linhas telefônicas das operadoras Tim, Claro, Vivo e Oi e todas estão fora do ar. O problema de telefonia prejudica também a internet, que impede o uso de cartões de crédito e débito.

Corte no sinal impede que Laelson Soares receba ligações de seus clientes (Foto: Rodrigo Pazinato)Corte no sinal impede que Laelson Soares receba ligações de seus clientes (Foto: Rodrigo Pazinato)

O presidente da Associação Comunitária Social e Esportiva do Jardim Noroeste, Antonio Vieira, 56, relata que conversou com a esposa, que tem celular da operadora Oi, por volta das 14h de hoje. Quinze minutos depois já não obteve êxito. 

“A comunidade não deve pagar por uma coisa que acontece lá no presídio”, diz Vieira, irritado com a decisão judicial. “Deveriam barrar a entrada de celular”, completa. 

Dono de uma bicicletaria por cinco anos, Laelson Soares, 49, reclama que o corte do sinal atrapalhará seu trabalho. Ele diz que tem as linhas das quatro operadoras e será prejudicado já que utiliza o telefone móvel para atender seus clientes.

Ana Aparecida da Silva, 22, é dona de um mercado na rua lateral do presídio. Ela diz que a oscilação da internet da operadora Oi é constante desde a última sexta-feira. “Quando consigo falar no telefone, a ligação cai”, conta.

 

Estudante de Administração Marilene Martins mostra aparelho celular sem sinal da operadoraEstudante de Administração Marilene Martins mostra aparelho celular sem sinal da operadora

A máquina de cartão de crédito e débito conta com chip da Oi e também não funciona. Ela faz as contas e diz que terá prejuízo de pelo menos 40%. “Fui na concorrência pagar um boleto e não estava passando. A nossa conta nunca abaixa por causa disso”, diz. 

“As operadoras deveriam se unir para ver o que pode ser feito”, reclama Marilene Martins Rodrigues, 22. Acadêmica de Administração, ela é vizinha do mercado de Ana Aparecida. 

Sem o sinal das operadoras Claro e Oi funcionando, Marilene se irrita pelo fato de estar também sem internet. Ela conta que não consegue fazer os trabalhos da faculdade. A estudante também revela que aguarda o resultado de uma entrevista de emprego realizada na quinta-feira. Marilene aguarda retorno com a resposta se foi aprovada para o novo trabalho.



Todo mundo é a favor da retirada do sinal de celular para eliminar tanta desordem no setor penitenciário, mas temos também que salientar que isso acarreta prejuízos para os comerciantes locais. Proponho para os "arrogantes de plantão" abram um comércio lá e sintam na pele a perda de clientes por falta de comunicação. Pimenta nos olhos dos outros é refresco.
 
Klaus Fantin em 03/10/2012 15:09:09
Caro Alfredo carvalho vc disse em seu comentário o seguintes: "Com o desligamento dos sinais os celulares que estão nas mãos dos presos não terão mais utilidade"............ q culpa temos nós se os presos tem celulares? isso é um problema do poder publico e da policia, q deveria ter uma fiscalização eficaz e evitar q estes celulares chegassem até eles... e creio que o fato da ftorre estar em uma areá da prefeitura não seja o problema, isso é uma maneira do poder publico, sanar o problema de incompetência deles em não conseguir proibir a entrada de celulares no presídio... e meu caro anos 90 é um passado mt distante, o mundo mudou, esse seu pensamento de que no passado era assim ou era assado é totalmente sem nexo...
 
Gilmar Arantes em 03/10/2012 10:54:32
eu acho que tem qie retirar de perto do presidio sim, é preciso que os moradores tenham paciencia quanto mais formas forem possiveis para isolar essas pessoas no presidio melhor porque celular sempre vai chegar, eu acho que até la de dentro mesmo eles recebem então tem que corta o mal pela raiz tirando o sinal porque um celular sem sinal não serve de nada.
 
lau barcellos em 03/10/2012 08:10:55
O poder publico tem que se utilizar do que é possivel fazer no momento! Se a operadora não bloqueia o sinal dentro do presidio,tem sim que bloquea-lo fora,o que não pode, é pessoas serem coagidas,sequestradas,mortas por bandidos presos,temos que lembrar que os celulares são levados por familiares e advogados. Outra opção seria a secretaria de segurança pública retirar as tomadas de dentro das celas, é obvio sem energia sem carregador de celular, não terão como ligar... é claro começaram a levar baterias escondidas ao inves de celulares,Não tem jeito é BRASIL...É meu povo usem telefones fixos pois é questão de segurança pública.
E as empresas que se virem para colocar bloqueadores eficientes dentro de presidios e pronto...
 
Jeziel oliveira em 03/10/2012 07:54:50
A torre de telefonida móvel deve ser retirada, pois encontra-se nas proximidades do complexo penitenciário e, ainda, em área pertencente a Agepen, que é a responsável pela administração dos presídios, ou seja, a torre foi colocada em local impróprio. E, sobre a construção de presídios em local isolado, isto está em conformidade com a Lei de Execuções Penais 7.210/84, art. 90 que diz: "a penitenciária de homens será construída em local afastado do centro urbano a distância que não restrinja a visitação". Assim, o complexo penitenciário foi construído como preceitua a lei, mas devido ao crescimento da capital, muitas pessoas deslocaram-se para aquele lugar. E, além disso, sempre prevalecerá o bem da coletividade e não individual. No caso, da população em geral e não de uma determinada região
 
Raimunda Oliveira em 03/10/2012 01:51:21
INFELIZMENTE OS MORADORES IRÃO PAGAR PELA INCOMPETÊNCIA DO PODER PÚBLICO,QUE PERMITEM A ENTRADA DESSES APARELHOS E OUTRAS COISAS NO PRESIDIO,TIRAR UMA TORRE Ñ ADIANTARA NADA,O QUE ADIANTARA É O PODER PÚBLICO PARAR DE OLHAR PARA O PRÓPRIO UMBIGO E TRABALHAREM PELO QUE SÃO PAGOS PELO POVO ...ZELAR PELA SEGURANÇA PÚBLICA! MAS FAZER O QUE ? REZAR PARA QUE A COMPETÊNCIA CHEGUE AO PODER PÚBLICO!
 
Etiene Mendonça em 02/10/2012 21:29:15
Hoje a população de todas as cidades do país clama por segurança, pois bem, quando alguém toma uma medida com o propósito de resguardar os interesses da coletividade, e dificultar as ações dos criminosos, chovem criticas.

A suspensão do sinal no momento é viavel e com certeza irá surtir resultado. Para não deixar a população da região sem acesso ao serviço de telefonia, pode-se instalar telefones fixos nas residências dos moradores, claro, com custo subsidiado.

Por fim, não entendo porque até hoje os presidios/penitenciarias não possuem bloqueadores, será que é o custo? ou é falta de vontade política?
 
Fernando Verneque em 02/10/2012 20:48:54
Gilmar Arantes, procure se informar melhor jovem!!! A torre esta montada em uma area da prefeitura, isso não pode . O pior, sem autorização do poder publico.
Concordo com o Fabio, a area é de segurança publica. Com o desligamento dos sinais os celulares que estão nas mãos dos presos não terão mais utilidade. O povo que tenha um pouco mais de paciência e as operadoras darão uma solução para o problema. Até um pouco mais de meados dos anos 90 ninguem tinha celular e todos viviam normalmente sem o mesmo.
Virou um vicio, tem pessoas que parece que lhe falta oxigenio para respirar se esta sem celular. Isso se tornou uma doença. É para o bem da população de Campo Grande e não a população do Jardim Noroeste e adjacencias não vão morrer por ficarem sem celular ou internet, viviam antes sem isso.
 
Alfredo Carvalho em 02/10/2012 20:39:24
Área de segurança respeitada???Parece até piada!!!!!!!!
A segurança deve ser no portão de entrada,coibindo drogas e celulares?
Agora vem ca,sera que só entra ilicitos la por cima do muro?
Se tivesse que ser respeitada a área,não fizessem loteamento do lado da faculdade do crime.
 
wagner natal em 02/10/2012 20:10:09
Caro Fabio, não concordo com sua opinião, primeiro ponto pq estão tirando a torre da Vivo de perto do presidio? segundo o presidio não é pra ser um lugar isolado, ou vc acha q retirando o sinal isso vai acontecer?.. o q tem q proibir é fazer com q celulares chegue até os presidios isso sim..
 
Gilmar Arantes em 02/10/2012 17:46:35
Como sempre vai chover comentários reclamando de tal situação nessa notícia. Mas a população tem que entender que área de segurança deve ser respeitada. Tem que se pensar não só no bem estar das pessoas que estão perto do presídio, mas sim na cidade inteira. Um presídio devidamente isolado aumenta a segurança de todos.
 
Fabio Martins em 02/10/2012 17:19:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions