A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

03/06/2013 21:42

CNJ sinaliza que verba auxiliar do TJ pode ter que ser devolvida no MS

Nyelder Rodrigues

Os valores retroativos de auxílio-alimentação pagos aos magistrados pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) podem ter que ser devolvidos caso o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) ou STF (Supremo Tribunal Federal) considerem o pagamento ilegal.

A afirmação é do conselheiro do CNJ, Bruno Dantas, que decidiu suspender provisoriamente nesta segunda-feira (3) o repasse dos retroativos desse benefício a juízes de oito estados que ainda não haviam quitado o pagamento.

No Mato Grosso do Sul, os valores já foram quitados, assim como no Amapá, Rio de Janeiro, Rondônia, Distrito Federal e Paraná. Os estados alvos da suspensão foram Bahia, Pernambuco, Roraima, Sergipe, Espírito Santo, Maranhão, São Paulo e Pará. Os pagamentos em Santa Catarina e na Paraíba tinham sido suspensos por decisão anterior.

A suspensão foi tomada por Dantas pois, no entendimento dele, há possível ilegalidade na liberação da verba, e por isso foi adotada a Medina liminar até que o CNJ tome uma decisão definitiva sobre a situação.

“Eventuais verbas pagas retroativamente, por não possuírem mais a natureza alimentícia, seriam utilizadas para outras finalidades, desvirtuando a natureza jurídica do auxílio-alimentação, e transfigurando-se em verba claramente remuneratória”, analisou o conselheiro Dantas.

Minas Gerais, Alagoas, Amazonas, Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Goiás, Tocantins, Acre e Mato Grosso foram os únicos estados a não adotarem a prática do pagamento retroativo do “vale caviar”, como é popularmente chamado o benefício de vale-alimentação dos magistrados.

Com a suspensão, mais de R$ 100 milhões vão deixar de ser pagos aos juízes. Quase R$ 250 milhões já foram desembolsados pelos tribunais estaduais.

Não é privilégio – De acordo com o presidente da Amamsul (Associação dos Magistrados de Mato Grosso do Sul), juiz Wilson Leite Corrêa, os magistrados recebem 5% dos salários a titulo de auxílio-alimentação. O benefício está em vigor desde janeiro de 2012. A regulamentação do TJ-MS veio após autorização da lei estadual 4.137, aprovada em 2011.

Ele explica que o CNJ deu aos juízes um direito já concedido aos membros do Ministério Público. “O Ministério Público Federal paga desde 2001. Mas o nosso pagamento nem chegou a ser retroativo a 2001”, afirma. O presidente da Amamsul não soube informar até que ano o pagamento do auxílio-alimentação retroagiu e nem os valores pagos.

“O juiz não é diferente de outras áreas. Também tem os seus direitos. Não há privilégio nenhum nisso”, salienta. Ainda segundo o magistrado, ministros do STJ (Superior Tribunal de Justiça) também receberam e, no entanto, não são alvos do conselho nacional.

Vale-caviar mais alto do país – De acordo com reportagem do jornal O Estado de São Paulo, o auxílio-alimentação pago aos magistrados em Mato Grosso do Sul é o mais alto do Brasil. O valor varia de R$ 1 mil a R$ 1.200 por mês.

Ainda segundo a reportagem, os benefícios mais altos também são pagos em Amazonas, Pernambuco e Roraima. Nos outros Estados, o valor varia de R$ 450 a R$ 900. O salário do magistrado começa em R$ 20 mil.

(Com informações da Agência Brasil)

Servidores do TJ/MS também querem o “vale caviar” dos juízes aposentados
Os servidores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) também querem receber parcela maior do auxílio alimentação pago aos juízes aposenta...
Presidente da Amamsul diz que TJ já pagou retroativo e auxílio não é privilégio
O presidente da Amamsul (Associação dos Magistrados de Mato Grosso do Sul), juiz Wilson Leite Corrêa, afirma que o auxílio-alimentação retroativo já ...
Magistrados sul-mato-grossenses têm auxílio-alimentação mais alto do País
O auxílio-alimentação pago aos magistrados em Mato Grosso do Sul é o mais alto do Brasil. De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, o valor varia...
Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016
O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novemb...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions