A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

03/06/2013 15:29

Servidores do TJ/MS também querem o “vale caviar” dos juízes aposentados

Zemil Rocha

Os servidores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) também querem receber parcela maior do auxílio alimentação pago aos juízes aposentados de Mato Grosso do Sul. A ajuda, que recebeu o nome de “vale caviar”, beneficia os magistrados do Estado, inclusive os inativos, com valores que variam de R$ 1.000,00 a R$ 1.200,00, o patamar mais alto do País.

Na atividades, os servidores estão recebendo R$ 431,97 de auxilio alimentação, após um reajuste de 10% conquistado na última campanha salarial. Além de estar insatisfeito com esse valor, já que reivindicava 50% de aumento, o que elevaria o auxílio para R$ 592,70, o Sindjus (Sindicatos dos Servidores do Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul) também exige que os 300 funcionários aposentados do Judiciário também recebam a verba.

A fim de obter a isonomia com os juízes, no direito ao auxílio alimentação para aposentados, o presidente do Sindjus, Clodoir Fernandes Vargas, ingressou com pedido administrativo no Tribunal de Justiça, que está nas mãos do vice-presidente João Batista da Costa Marques. “Ele ficou como relator e ainda não colocou em votação no Conselho Superior da Magistratura e, enquanto isso, só os juízes continuam recebendo”, informou o sindicalista. “O Tribunal diz que não tem dinheiro”, completou.

O Sindjus também reivindica o reenquadramento de cerca de 400 servidores do serviço de copa e limpeza que há muito tempo exercem função dentro dos cartórios judiciais. “O Tribunal já reconheceu por lei o desvio de função nos cartórios, mas ainda não regulamentou”, explicou o dirigente sindical Clodoir Vargas. Hoje esses servidores recebem R$ 1.360,83 por mês e se forem enquadrados com analistas judiciários passaram a ter remuneração de R$ 3.078,00.

Este mês de junho é decisivo para o Sindjus, que, dependendo do atendimento ou não às reivindicações, poderá liderar paralisação da categoria no dia 3 de julho. No próximo dia 29 de junho haverá reunião do Conselho Geral, formado por delegados de todas as comarcas do Estado para analisar se houve avanços nas negociações. “Se não tiver avanço vamos confirmar a paralisação de advertência no dia 3”, informou Vargas.

 



Olha que interessante... Se eu trabalho apenas seis horas por dia, eu não preciso almoçar. Grande conclusão do Sr. Elieser de Amorim Costa Gonçalves. Para que comida em casa? Sorte de quem trabalha MEIO EXPEDIENTE, nem precisa comer nada. Parabéns Brasil, por ser um país livre para todos os tipos de opiniões e permitir que todos digam as barbaridades que quiserem. Enquanto isso, vamos pagar mais impostos... é a única alternativa que nos resta... e todos pagam quietinho. INFELIZMENTE, SER CERTO É ERRADO NESTE PAÍS...
 
LUCIANO AZAMBUJA em 04/06/2013 08:15:20
Considerando que eles fizeram concurso para isso (função x salarios), a quantidade de trabalho sempre crescente, o risco de se trabalhar ali mexendo com rumo da vida de mta gente, a pressão de produtividade, o aumento de horas de trabalho sem remuneração e outras mais, nada mais justo.
Agora se vc que reclama não tem capacidade, ou não fez concurso para entrar, desculpe, mas é problema seu e não deles que estão trabalhando corretamente.
Brasileiro tem de parar de comparar juiz e desembargador com os servidores do judiciário por trás do trabalho dos mesmo.
 
Fabyeni Lopes em 04/06/2013 08:01:09
Para refletir, sem os juízes, caso comum e corriqueiro nas comarcas, elas continuam funcionando, sem servidor não, pesquisem o que estou dizendo.
 
Milton Oruê em 04/06/2013 07:58:57
esse vale até é justo para os servidores que estão na ativa tudo bem, mas para os aposentados ai já é de mais. Se já não estão exercendo mais a função poque terão direito a esse vale.
 
nelson ferreira em 04/06/2013 07:09:20
Juiz aposentado recebendo ???
 
Ricardo Homrich em 03/06/2013 19:47:05
Thiago Vinícius, concordo com todas as suas palavras. Que eu saiba, vale alimentação é para o trabalhador se alimentar no intervalo entre os turnos de trabalho, só que esse pessoal trabalha só 6 horas por dia, ou seja, meio expediente, e ainda querem aumentar o valor do vale para quase um salário mínimo? Absurdo, por isso que esse país não vai pra frente. Além disso, esse reenquadramento deveria se chamar trem da alegria. Só no TJMS que alguém passa no concurso para ser x e lá dentro vira y. Quer dizer, eu passo no concurso para ser auxiliar de enfermagem e, depois, lá dentro viro médico numa canetada, é isso? Pois faxineiro virar analista judiciário numa canetada só pode ser piada, e a regra do inciso II do art. 37 da CF, foi revogada???
 
Elieser de Amorim Costa Gonçalves em 03/06/2013 18:55:17
A população deveria se revoltar e participar do rega bofe exigindo no mínimo a metade do que é pago de vale caviar a título de " vale-sobras". Não é muito mas já ajudaria.
 
adelar francisco taffarel em 03/06/2013 17:22:31
Vale caviar e enquadramento absurdo como esse descrito pelo Campo Grande News, só nos leva a pedir intervenção do STF para acabar com essa CAIXA NEGRA. Não é brincadeira, mas jornais europeus dizem hoje que o grande problema do Brasil é a corrupção.

















 
Alberto Gaspar em 03/06/2013 17:22:28
O tratamento já é discrepante em relação aos salários. O vale caviar deveria ser no mínimo igual.
 
Áttila Gomes em 03/06/2013 17:01:11
Justa a reinvidicação dos servidores pelo aumento do vale alimentação. Agora, querer o reenquadramento de servidores da copa e limpeza, com os analistas judiciários, cargo de nível superior completo, é brincadeira!?!
Ta certo que o desvio de função também não é correto, mas, com todo o respeito, daí querer pular mais de um degrau da escada por vez, já é demais?!
 
Silvio Henrique Lemos em 03/06/2013 17:00:10
Caro Thiago Vinicius, ao contrário do que vc pensa, nós trabalhamos e muito meu caro. Quando a gente fala alguma coisa, temos que ter conhecimento de causa. O que estamos pedindo é muito justo, se comparando nossos salários aos dos juízes. Pensa bem antes de falar asneira.
 
marivane cavalcanti em 03/06/2013 16:43:48
Trabalhar que é bom, queremos sim, e o fazemos. Trabalhamos e reivindicamos nossos direitos.
 
Janete Gonçalves em 03/06/2013 16:36:38
Eu tenho vergonha desse país e mais precisamente do meu Estado. Pagar isso aos juízes que não trabalham nada. Temos um dos piores e mais absoltes judiciários do mundo. Isso sem falar nas duas férias de 2/3 por ano mais recesso forense, mais auxílio moradia, mais substituição, mais diária de R$ 700,00. Meu Deus tomara que um dia o Sr faça justiça com esse povo.
 
Caio Ribeiro Ojeda em 03/06/2013 16:19:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions