A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

05/03/2016 08:30

Detran-MS entra na Justiça contra exame toxicológico para motoristas

Aline dos Santos
Fila de caminhões na BR-262, nesta semana, em Campo Grande; nova regra exige exame toxicológico. (Foto: Fernando Antunes)Fila de caminhões na BR-262, nesta semana, em Campo Grande; nova regra exige exame toxicológico. (Foto: Fernando Antunes)

O Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito) ingressou com ação na Justiça Federal contra a exigência da realização do exame toxicológico. Desde quarta-feira (dia 2), motoristas que trabalham com transporte de cargas ou de passageiros terão de fazer o procedimento no momento da contratação ou do desligamento de empresas de transporte rodoviário.

Conforme a assessoria de imprensa do órgão no Estado, os departamentos de trânsito de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Pernambuco e Tocantins obtiveram ganho de causa com ação idêntica a de Mato Grosso do Sul.

A justificativa é que nenhum País do mundo utiliza como ação de saúde pública a exigência de exame toxicológico. Além de enfatizar que o motorista não pode conduzir nenhum tipo de veículo sob efeito de qualquer substancia psicoativa.

“O Detran-MS espera nos próximos dias a obtenção de decisão favorável da Justiça para a suspensão da exigência do exame toxicológico, para que assim possa continuar atendendo o seu usuário de forma satisfatória”, informa a assessoria de imprensa.

O teste, previsto em lei, identifica se até 90 dias antes da coleta o profissional usou drogas, como maconha, cocaína, crack, anfetaminas e metanfetaminas. Segundo a Agência Brasil, o exame custa R$ 350 e seis laboratórios foram credenciados no Brasil.

A norma do Contran ( Conselho Nacional de Trânsito) - sobre a obrigatoriedade do exame toxicológico para renovação ou obtenção da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) nas categorias C, D e E – é contestada pelo Detrans, Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego) e CFM (Conselho Federal de Medicina).

Adiada para março exigência de exame toxicológico para motoristas
Foi prorrogada por mais três meses, a exigência de exame toxicológico para motoristas com habilitação nas categorias C, D e E. A resolução do Conselh...
Carro roubado no RJ é recuperado em estrada rumo ao Paraguai
Um automóvel recentemente roubado no Rio de Janeiro foi recuperado por policiais militares em uma estrada vicinal de Japorã –a 487 km de Campo Grande...


Essa é mais uma daquelas normas pérolas do CONTRAN. Igual àquela do kit de primeiros socorros e aquela outra dos extintores.
Meia dúzia de pseudos doutores em trânsito legislam sem saber o que estão fazendo e possivelmente visando interesses financeiros de algum grupo.
 
Messias Alves em 06/03/2016 09:35:13
Infelizmente Estacio Quevedo as estatísticas comprovam a necessidade de vc se submeter a tais exames.
Trata-se de segurança coletiva. Também trata-se de vigiar sua saúde para seu próprio bem!
 
Straderoro em 05/03/2016 21:44:09
Como também deveria ser proibido essa exigência absurda de atender ao tal IMC! Sou gordo desde os seis meses de idade, segundo minha mãe, tenho 65 anos e gastei mais de R$ 1.000,00, fora taxas do DETRAN, para fazer 5 exames e renovar uma habilitação "E" por .... UM ANO! Não tenho, graças a Deus, nenhum problema cardio-respiratório, troquei os óculos, fizeram junta médica, abusaram da minha paciência, perdi tempo e dinheiro e onze meses depois estava, de novo, com minha habilitação, tirada em 1973, vencida e impedido de dirigir!Cumpre dizer que durante esse tempo como motorista, amador e profissional, jamais me envolvi em acidente.
 
Estacio Quevedo em 05/03/2016 08:55:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions