A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

07/12/2010 08:39

Educação de MS é 8ª melhor em avaliação internacional

Marta Ferreira

Desempenho colocou alunos no mesmo grupo de estados desenvolvidos

Resultado de avaliação internacional sobre educação, divulgado hoje, coloca Mato Grosso do Sul no grupo dos estados brasileiros mais desenvolvidos em relação ao desempenho dos estudantes. De acordo com o resultado do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos) 2009, realizado pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), os estudantes sul-mato-grossenses que fizeram parte do estudo no ano passado obtiveram uma nota geral de 404, a oitava maior do País.

À frente de Mato Grosso do Sul, aparecem os estados mais ricos e desenvolvidos do País. O Distrito Federal ficou com a melhor nota, 439. A segunda melhor foi de Santa Catarina, com 428, seguida do Rio Grande do Sul (424); de Minas Gerais (422); do Paraná (417); de São Paulo (409) e do Rio de Janeiro, com nota 408. A média brasileira foi de 401.

O Pisa avaliou 20 mil alunos no Brasil. No Mato Grosso do Sul foram 1,4 mil alunos, em 37 escolas.

Os melhores desempenhos dos alunos do Estado foram em Literatura, com média 413,8. A média de Matemática foi a mais baixa, com 389,5. A outra área em que os estudantes foram avaliados, Ciências, teve nota média de 408,7.

O Pisa avaliou 20 mil alunos no Brasil. No Mato Grosso do Sul foram 1,4 mil alunos, em 37 escolas.O Pisa avaliou 20 mil alunos no Brasil. No Mato Grosso do Sul foram 1,4 mil alunos, em 37 escolas.

Melhora geral-O Brasil está entre os três países que mais evoluíram na educação nesta década, conforme o resultado do Pisa 2009. A educação brasileira evoluiu 33 pontos nos exames realizados no período entre 2000 e 2009. Foi superado pelo Chile, 37 pontos, e Luxemburgo com 38 pontos.

No ano 2000, a média brasileira era de 368 pontos, contra 401 pontos em 2009. Na tabela geral o Brasil está na 53ª posição. Superou Argentina e Colômbia, entre os latino-americanos. Ficou 19 pontos atrás do México (49º), 26 pontos do Uruguai (47º) e 38 pontos atrás do Chile (45º).

Foram avaliados os estudantes de 65 países, 34 deles integrantes da OCDE. Vinte mil estudantes brasileiros nascidos em 1993 fizeram as provas.

Na média nacional, o Brasil cresceu sobretudo em Matemática, onde passou de 334 pontos no ano 2000, para 386 pontos em 2009; em Ciências passou de 375 para 405 e em Leitura de 396 para 412. Desta forma atingiu a meta do Plano de Desenvolvimento da Educação de atingir a média 395 pontos nas três áreas.

Como é-A avaliação do Pisa em 2009 foi a quarta já realizada e essa vez teve ênfase na área de Leitura. No Brasil, o PISA 2009 ocorreu na última semana de maio, com a participação de 950 escolas de todas as Unidades da Federação, contando com a presença de 20.013 (vinte mil e treze alunos), dos quais 54% do sexo feminino e 46% do masculino. Esse número representa 81% dos alunos sorteados para o exame, índice de participação mais alto do que os 79% alcançados no PISA 2006.

A avaliação costumava ser aplicada no mês de agosto no Brasil, mas foi adiantada em razão da taxa de evasão do meio do ano verificadas em 2006, que ficaram em 10%. Com a antecipação, as ausências por transferência ou evasão caíram para 5%.

Além dos alunos da população-alvo do PISA (alunos nascidos em 1993, matriculados em qualquer série a partir da 7ª), o Inep aplicou os instrumentos do PISA a uma amostra de alunos do 1º ano do Ensino Médio, independente da idade. Essa amostra adicional teve por objetivo verificar até que ponto a defasagem idade-série prejudica o desempenho dos alunos brasileiros.

STF tem maioria a favor de delação negociada pela Polícia Federal
O Supremo Tribunal Federal (STF) formou hoje (13) maioria para manter a autorização legal para que a Polícia Federal (PF) possa negociar delações pre...
UFGD oferece vagas em 36 cursos de graduação pelo Sisu
A UFGD (Universidade da Grande Dourados) está ofertando 944 vagas em 36 cursos de graduação para o Sisu (Sistema de Seleção Unificada). As inscrições...


Minha minha filha está no sexto ano de uma escola estadual, desconhece literatura nunca os professores mandou ou indicou um livro sequer de nossa literatura tão rica, questionei a professora me respondeu que estão estudando um projeto, blá, blá...ou seja, preciso de um projeto desses do governo que desviam milhões para que o aluno possa ler um livro, me falou também, que umas mães cobrariam a leitura dos filhos outras não e que resultaria ao final em notas baixas e repetencia, enfim, é a democratização da burrice, como mostrou bem um reportagem recente da Veja, estamos, muito ruim, bem abaixo do México, estamos nos transformando em um país de analfabeto funcionais, não bastasse isso, nosso digníssimo presidente faz comentários do tipo: "Ler um livro é pior do que fazer exercício na esteira". Falar o que?
 
maria amelia barbosa vieira em 07/12/2010 11:28:57
Porque os orientais tem as melhores notas?
Será fatores genéticos e alimentação? porque as mulheres são melhores em leitura que os homens? Será fatores da natureza humana?
 
Fábio Nogueira em 07/12/2010 09:42:10
É importante ressaltar que a qualidade da educação brasileira ainda é muito ruim, mesmo no Distrito Federal, que obteve a melhor nota. Ainda há muito a ser feito.
 
Vinícius Bantim em 07/12/2010 02:38:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions