A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 21 de Setembro de 2017

21/08/2017 15:28

Em concurso disputado, 206 faltam e 15 são eliminados por desrespeitar edital

Concorrência fechou em 318 candidatos para cada vaga ao cargo de delegado da Polícia Civil

Anahi Zurutuza
Candidatos com malas nas mãos neste domingo; quem veio de fora preferiu levar bagagem para não se atrasar (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Candidatos com malas nas mãos neste domingo; quem veio de fora preferiu levar bagagem para não se atrasar (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

O índice de abstenção na prova escrita o concurso público para delegado da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul foi de 2%. Dos 9.770 inscritos, 9.564 fizeram a prova que durou cinco horas – ou seja, 206 faltaram. 

Ao menos 15 candidatos foram eliminados por não atenderem a solicitação para desligar o aparelho celular.

A concorrência, portanto, caiu de 325 para 318 candidatos por vagas. Os candidatos disputam 30 vagas para o cargo que paga salário de R$ 14.978,26.  

Seguindo cronograma estabelecido em edital, o gabarito preliminar será divulgado na quarta-feira (23). Já o gabarito definitivo, no dia 12 de setembro.

As informações são do secretário de Estado de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto de Assis, pasta responsável pela elaboração do certame em parceria com a Fapems (Fundação de Apoio à Pesquisa ao Ensino e à Cultura).

Sem ocorrências – Pela manhã, o secretário já havia adiantado que o aparelho usado pela primeira vez em um concurso em Mato Grosso do Sul e que é capaz de detectar sinais do uso de celulares e pontos eletrônicos por candidatos, não captou nenhum sinal de fraude.

O equipamento foi cedido pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e com alcance num raio de até 470 metros, tem precisão para mostrar para a organização a sala onde poderia haver um candidato trapaceiro.

“Não detectamos nada. Só o fato da gente ter divulgado antes [o uso do instrumento] afastou possíveis ocorrências”, afirmou Assis.

A delegada Maria de Lourdes de Souza Cano, presidente da comissão organizadora do certame, explicou que dois tipos de desrespeito ao edital foram flagradas. “Tivemos ocorrências rotineiras de eliminação, relacionada a infringências ao edital do concurso: celular ligado e portar arma de fogo, foram só estas duas situações. Ou seja, nenhuma ocorrência de fraude”.

MS tem 577 vagas em concursos para níveis fundamental, médio e superior
A semana começa com 577 vagas em concursos públicos e processos seletivos disponíveis em Mato Grosso do Sul. As oportunidades contemplam todos os nív...
Governo diz que mudanças no Fies garantirão sustentabilidade do programa
As mudanças propostas pelo governo no Financiamento Estudantil (Fies) são fundamentais para garantir a sustentabilidade fiscal do programa e evitar s...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions