A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

05/07/2018 11:47

Em MS, 60% das cidades enfrentam alagamentos, aponta pesquisa

Também mais da metade dos municípios já sofreu consequências de grandes inundações

Anahi Zurutuza
Criança pilota barco pelas ruas de Aquidauana em fevereiro deste ano (Foto: Saul Schramm/Arquivo)Criança "pilota" barco pelas ruas de Aquidauana em fevereiro deste ano (Foto: Saul Schramm/Arquivo)

Dos 1.729 municípios que declararam terem sido atingidos por alagamentos entre 2013 e 2016, ao menos 47 estão em Mato Grosso do Sul – 60,8% das 79 cidades do Estado. Também 62% dos municípios sul-mato-grossenses já enfrentarem inundações provocadas por fortes chuvas que fizeram rios transbordarem e deixaram rastro de destruição.

Os dados constam na Munic (Pesquisa de Informações Básicas Municipais) 2017, divulgada nesta quinta-feira (5) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Alagamentos - As maiores proporções de municípios atingidos por alagamento estão respectivamente no Espírito Santo (71,8%), Santa Catarina (68,5%), Rio de Janeiro (62%) e Mato Grosso do Sul (60,8%). Os menos afetados foram os Estados do Piauí (3,6%) e da Paraíba (4%).

Ainda segundo o estudo, a maior concentração de cidades que enfrentam alagamentos está na região Sul (53,9%) e a menor, na Nordeste (13,2%).

“Quanto maior a classe de tamanho da população dos municípios, maior a proporção destes atingidos por alagamentos”, constatou a Munic.

Enchentes – Também 1.590, ou 28,5% dos municípios brasileiros, já sofreram com inundações de grandes proporções.

É o caso de Aquidauana e Anastácio que ano após ano tem de lidar com os problemas causados pelo transbordamento do rio que leva o mesmo nome da cidade.

Entre fevereiro e março deste ano, moradores enfrentaram uma das piores cheias dos últimos anos. A cidade ficou inundada por 20 dias, o acesso de Aquidauana para Anastácio e vice-versa ficou completamente interrompido e centenas de famílias tiveram de ser removidas de suas casas.
Santa Catarina (69,2%), Espírito Santo (66,7%) e Mato Grosso do Sul (62,0%) foram os que registraram os maiores percentuais de municípios atingidos, o menos afetado foi o Ceará (1,3%).

Do alto, Aquidauana e Anastácio debaixo d'água (Foto: André Bittar/Arquivo)Do alto, Aquidauana e Anastácio debaixo d'água (Foto: André Bittar/Arquivo)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions