A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

04/09/2009 17:41

Família diz que suspeito colabora com investigações

Redação

A família de Danilo dos Santos Rosa, 27 anos, suspeito de atirar em um capitão da PM (Polícia Militar) diz que ele está colaborando com as investigações sobre o caso.

A irmã de Danilo, Daniele dos Santos Rosa, disse ainda que ele não estava escondido no Estado do Paraná, como informou a Polícia Civil, com base no depoimento dele.

Segundo Daniele, Danilo estava em um local próximo de Campo Grande. "Por perto. Muito perto", declarou Daniele. Sobre o fato dele ter fugido, ela revela que foi receio dos policiais agirem motivados pelo corporativismo.

A irmã de Danilo disse ainda que ele nunca teve qualquer envolvimento com crimes. No arquivo policial, nem Danilo, nem o amigo dele, Daniel Viana, tem antecedentes criminais.

Daniel estava com Danilo na motocicleta Falcon, na Vila Sobrinho, na manhã do dia 13 de agosto. O capitão da PM Anderson Luís Alves Avelar, 38 anos, pediu para que eles parassem.

Os jovens não pararam, houve perseguição e troca de tiros. Daniel fugiu a pé e Danilo na moto. Daniel se escondeu em uma árvore e acabou morto pela PM. Danilo fugiu e só se apresentou à Polícia Civil na manhã desta sexta-feira.

Ela revela que Daniel e Danilo eram amigos há cerca de seis anos. Amizade que começou, de acordo com Daniele, porque Daniel é dono de uma borracharia que fica ao lado da auto-peças de Danilo.

"A família do Daniel está sofrendo muito. Minha família está sofrendo muito. O Daniel era como um filho para minha mãe. Era com um irmão para mim".

Danilo foi indiciado pelos crimes de tentativa de homicídio, porte ilegal de arma de fogo e resistência à prisão. Ele responderá ao inquérito em liberdade.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions