A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

03/06/2013 13:12

Fotógrafo do Campo Grande News é agredido por índios em Sidrolândia

Nadyenka Castro e Aliny Mary Dias
Índios rasgam cópia de decisão da Justiça Federal. (Foto: Marcos Ermínio)Índios rasgam cópia de decisão da Justiça Federal. (Foto: Marcos Ermínio)

O fotógrafo do Campo Grande News, Marcos Ermínio, 26 anos, foi agredido por índios nesta segunda-feira, após o enterro do terena Oziel Gabriel, 35 anos, em Sidrolândia, a 71 quilômetros da Capital.

“Ele pegou o pedaço de madeira sem eu ver. Quando vi, tentei proteger a câmera e pegou na minha mão”, conta Marcos, que fazia a cobertura jornalística do sepultamento de Oziel junto com a repórter Aliny Mary Dias e equipes da TV Morena e do G1.

A equipe do Campo Grande News chegou à aldeia Córrego do Meio, onde Oziel era velado, por volta das 10h30min. Logo depois, houve o cortejo até o cemitério indígena, a cerca de dois quilômetros dali.

Os repórteres acompanharam o cortejo, onde havia aproximadamente 200 indígenas, e ficaram do lado de fora do cemitério. Durante o ritual de enterro, a equipe conversou com uma liderança que autorizou o registro do sepultamento.

Aproximadamente 20 minutos depois, chegaram as equipes da TV Morena e do G1. Os índios iniciaram nova reza e pediram para que os jornalistas saíssem do cemitério. O pedido foi atendido e enquanto os repórteres entrevistavam indígenas que estavam do lado de fora, houve a agressão.

Conforme relatos da repórter Aliny Mary Dias, a TV Morena mostrou aos índios uma cópia da decisão da Justiça Federal que determina a reintegração de posse no prazo de 48 horas. Os indígenas olharam, passaram a gritar e a rasgar o papel.

Enquanto rasgavam e gritavam, o fotógrafo do Campo Grande News ergueu a máquina para fazer imagens. Neste momento, um índio que estava atrás de Marcos pegou um pedaço de pau e atingiu a mão dele. Por pouco não quebrou a câmera. Ele também quase acertou a cabeça de Marcos e de Aliny. “Passou perto da minha cabeça e da dele”, relata a jornalista.

Cerca de 50 indígenas fizeram uma roda e cercaram as três equipes de jornalismo, pegaram o microfone da repórter da TV Morena, Cláudia Gaigher, e jogaram no chão. Foram aproximadamente cinco minutos de tensão, que só acabou com intervenção de lideranças, que pediram desculpas pela situação e alegaram “ânimos exaltados”. A mão do fotógrafo ficou inchada, sem lesão aparente.



Ainda teve muita sorte de não fazerem o que fizeram com o produtor rural de Douradina, com o pés e mãos amarrados todo ensaguentado pedindo pelo amor de Deus para ser socorrido e este "povo" não teve nenhuma piedade deixando o pobre morrer a míngua em consequência do espancamento com hemorragia.
 
Leandro Goncalves em 03/06/2013 19:14:14
bem feito, eles(indios) agridem e fazem o que querem e vcs da imprensa acham correto, agora aguentem, invadir casa alheia é crime, fazer as demarcações exige pagamentos, aquelas terras nunca foram indigenas. esqueceram que eles mataram policiais em dourados, se eles sentirem contrariados matam e acabou.
 
vidal da silva em 03/06/2013 15:57:27
Agora eu ouvi um indio terena dizer que os indios indefesos foram masacrados pela maldosa policia e tambem que e um circo as investigaçoes que estao sendo feitas.Oque podemos concluir e que existe um fundamentalismo indigena ou seja quem nao for a favor e inimigo! E tambem lembrar-nos que os indios tem o poder de voto e portanto sao cumplices deste sistema miseravel que governa os municipios ,estado e uniao.Portanto sao tao responsaveis quanto os nao indios,basta de coitadinhos.
 
nelson wagno ribeiro da silva em 03/06/2013 15:50:21
Cade a distancia segura entre eles e a imprensa? Cade? Sabe que eles não estão de brincadeira, mas fotografos, jornalistas e cinegrafistas insistem em querer ficar enfiado no meio deles. Acontece o que acontece mesmo...
 
Bruna Batista em 03/06/2013 15:19:19
são é um bando de desordeiros comandados por um bando de desordeiros, se os indios ja não plantavam no que tinham imagina neste montão de terra, isso tudo é espaço para bebedeiras, infelizmente neste país sempre existira aqueles que são a favor da anarquia (direitos humanos).
 
anderson lima em 03/06/2013 14:55:43
Se o jornalista tivesse reagido a agressão estava na cadeia uma hora dessas
 
ney fernando em 03/06/2013 14:55:40
Estão fora de sintonia com as lideranças, tem que explicar para esses que estão atacando a imprensa; se não fosse o meio de comunicação ninguém saberia o acontecido e o que esta acontecendo...
 
Gabino Lino em 03/06/2013 14:55:24
Fico pensando: o que será que essas pessoas que apoiam essa bagunça onde "brancos" sem vergonha na cara então insuflando índios sem preparo e ignorantes a esse combate sem sentido, comem? Será que se o povo brasileiro que também não tem terra, mas que tem coragem de trabalhar e produzir para pagar impostos e sustentar toda sorte de pessoas em caráter, resolver doar a terra que serve de área para produção, não só de alimentos mas de riquezas o próprio país, ao pobres índios - que não produzem NADA, e nem tem condições de usar a "tal terra deixada pelos antepassados"- para servir de moeda de troca com ONGS e instituições manipuladoras e interesseiras, vai comer o que? casca de mandioca?? Qual será o real interesse de não índios nesses conflito? Eu sou sou brasileira também e quem me defende?
 
Magda Correa em 03/06/2013 14:10:58
cade os direito humanos pra cuidar dos nossos reportes?ou sera que esses indios tem direito de agredir as pessoas e ficar por isso mesmo?ate quando as autoridades vao fazer vista grossa sobre essa situaçao?
 
Gleidson de Souza em 03/06/2013 14:02:15
Estão fazendo tudo isso pra não usarem a terra porque a maioria quer viver de bolsa alguma coisa.
 
Diego Souza em 03/06/2013 13:43:09
Lamentável. Aqui de nossa parte reconhecemos a legitimidade das reinvindicações indígenas, e esperamos que a situação seja resolvida com paz, tranquilidade e sem prejuízo para nenhum dos envolvidos. Mas, o grupo indígena deve reconhecer que a imprensa não está ali para prejudicá-los. Ao contrário, ao mostrar, divulgar, publicar suas lutas, pode ser uma grande aliada na divulgação de informações à sociedade civil. Um país com cidadania para todos também se constrói com liberdade de imprensa e informação.
 
Rev. Carlos Eduardo Calvani em 03/06/2013 13:20:38
é o fim da picada! Agora a imprensa livre nao pode cubrir as materias? que isso meu deus!!!!! o brasil ta na mao da FUNai. Eles usam reporteres como escudo humano, agridem fotografos, vamos esperar matar um jornalista pra ter providencias?
 
Jonas Ruel em 03/06/2013 13:18:19
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions