A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 21 de Outubro de 2017

10/05/2011 17:30

Aulas em assentamentos de Corumbá começam com três meses de atraso

Angela Kempfer
Alunos têm aula sob árvore, no Tamarino. (Foto MPF)Alunos têm aula sob árvore, no Tamarino. (Foto MPF)

Aulas em assentamento de Corumbá começam com 3 meses de atraso

Sem condições de chegar à escola, centenas de alunos de 3 assentamentos de Corumbá só devem começar o ano letivo na segunda quinzena deste mês. As estradas de acesso estão tão ruins, que os ônibus escolares não conseguem chegar.

Para resolver o problema, o Ministério Público Federal fechou acordo com as Secretarias Municipais de Educação e Infraestrutura de Corumbá, para a restauração emergencial das estradas da região e obras em alguns prédios.

Em vistoria no dia 26 de abril, o MPF encontrou escolas fechadas, classes com três alunos onde deveria haver 20, uma frequência de apenas 35% dos alunos matriculados. O órgão também encontrou deficiências como aulas sob árvores e condições insalubres na escola do Tamarineiro.

A escola Eutrópia Pedroso, que atende os assentamentos I e II-norte e Paiolzinho, estava fechada, mas a prefeitura se comprometeu a reabri-la e depois fazer a reforma.

No local, dos 140 alunos matriculados, apenas 50 compareceram, ou 35% do total. Na primeira série, onde deveria haver 20 crianças apenas 3 assistiam aula naquele dia.

“A principal estrada de acesso aos assentamentos – estrada do Jacadigo – será reformada até 18 de maio, permitindo o acesso aos ônibus escolares por parte dos alunos de outros assentamentos. A restauração de outras estradas e acessos deve durar até quatro meses. No acordo, os pais das crianças se comprometem a levar seus filhos até o ponto mais próximo de parada do transporte escolar municipal”.

Segundo o MPF, a vistoria foi realizada depois que pais denunciaram as condições precárias das estradas e a falta de transporte escolar.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions