ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 29º

Interior

Bebê que morreu de covid era paraguaio e foi transferido para cirurgia cardíaca

Bebê de quse 2 meses saiu de Ponta Porã para Campo Grande e morreu um dia depois de exame positivo

Por Silvia Frias | 29/03/2021 12:27
Bebê chegou a ser internado no Hospital Regional de Ponta Porã, mas foi transferido para cirurgia em Campo Grande (Foto/Arquivo)
Bebê chegou a ser internado no Hospital Regional de Ponta Porã, mas foi transferido para cirurgia em Campo Grande (Foto/Arquivo)

O bebê de quase 2 meses de idade e que consta como a morte “4.091” no boletim da SES (Secretaria Estadual de Saúde) era do sexo masculino e natural de Pedro Juan Caballero, no Paraguai. Ele foi transferido para Campo Grande no dia 10 de fevereiro, inicialmente, por conta de cirurgia cardíaca e morreu na madrugada do dia 26 de março.

Segundo informações da prefeitura de Ponta Porã, o menino nasceu em Pedro Juan Caballero no dia 2 de fevereiro.

No dia 9, foi internado no Hospital Regional dr. José de Simone Neto, em Ponta Porã, sendo solicitada vaga para Campo Grande por conta de coartação de aorta, um estreitamento de vaso sanguíneo que obstrui a passagem do sangue e, em casos graves, pode causar insuficiência cardíaca em bebês. Também foi detectado hipoplasia leve da aorta transversa (defeito congênito).

A transferência na classificação “vaga zero”, de urgência, foi autorizada pelo Core (Complexo Regular Estadual) de Mato Grosso do Sul, sendo realizada para o Hospital Regional em Campo Grande. Esse translado foi feito com apoio do Consulado do Brasil em Pedro Juan Caballero, que providenciou a carteira do SUS para o bebê.

De acordo com a assessoria da prefeitura de Ponta Porã, o exame PCR-RT foi detectável para covid no dia 25 de março e o bebê morreu no dia seguinte, às 5h30, no Hospital Regional em Campo Grande.

A prefeitura informa que irá solicitar a retirada da morte do bebê do registro pelo município, o que somente aconteceu porque o endereço de origem dado foi como sendo o hospital de Ponta Porã. A justificativa é que a família é residente em Pedro Juan Caballero.

A assessoria do Hospital Regional em Campo Grande informou que não repassa informações pontuais de pacientes. Sobre como o bebê pode ter se infectado e se ele foi operado, a resposta é que somente a família terá acesso a esses dados.

A reportagem apurou que o bebê foi sepultado em vaga social no Cemitério São Vicente de Paula, em Ponta Porã.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário