A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 18 de Setembro de 2018

11/07/2018 10:56

Em dia de greve, professores protestam na prefeitura

Educadores cobram reajuste do piso de 2017 e equiparação do aumento deste ano para administrativos da educação

Helio de Freitas, de Dourados
Professores de escolas municipais durante protesto nesta manhã em frente à prefeitura (Foto: Divulgação)Professores de escolas municipais durante protesto nesta manhã em frente à prefeitura (Foto: Divulgação)

Educadores de escolas municipais fazem hoje (11) mais um dia de greve em Dourados, a 233 km de Campo Grande. A maioria dos estabelecimentos de ensino da Rede Municipal de Ensino não tem aula nesta quarta-feira, na terceira paralisação de 24 horas em um mês.

Nesta manhã, os educadores fizeram um ato em frente ao CAM (Centro Administrativo Municipal), na Rua Coronel Ponciano, onde fica o gabinete da prefeita Délia Razuk (PR). Faixas e cartazes foram espalhados até no gramado em frente ao Paço Municipal.

Os servidores cobram da prefeitura o reajuste de 7,64% do piso nacional do magistério que não foi concedido em 2017 para professores e administrativos e 6,81% do piso em 2018.

Neste ano, a prefeitura da segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul concedeu reajuste linear de 2,68% para todo o funcionalismo municipal e propôs mais 4,13% para o magistério, pra atingir o índice de 6,81% do piso nacional. O administrativo estava desde 2015 sem reajuste.

Só que os educadores não aceitaram a proposta e reivindicam o mesmo percentual também para os servidores administrativos. Eles cobram ainda uma previsão oficial de pagamento dos 7,64% do ano passado.

Sem obrigação – A prefeitura ainda não se manifestou sobre mais esse protesto dos educadores. No dia 28 de junho, em nota enviada pela assessoria, a prefeita Délia Razuk disse que não está obrigada a conceder reajuste aos educadores.

A afirmação foi feita com base em uma recomendação da CNM (Confederação Nacional de Municípios), que instruiu gestores públicos a não conceder o reajuste ou aplicar percentual menor caso o município tenha pago valor superior ao piso nacional no ano anterior.

Segundo a prefeitura, em Dourados um professor com curso superior – “a maioria predominante nas unidades da área urbana” – recebe R$ 4.588,95 por 40 horas semanais. O Ministério da Educação manda pagar R$ 2.455.

“Por 20 horas semanais trabalhadas, o menor salário no município é de R$ 2.294,42 (contra R$ 1.227,68 indicados pelo MEC), contabilizada a reposição linear de 2,68% concedida a partir de abril a todos os funcionários públicos”, afirma a prefeitura.

A assessoria de Délia Razuk cita ainda o ranking da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), divulgado no dia 2 de abril deste ano, no qual Dourados aparece em sétimo entre os 36 municípios do estado que cumprem a lei do piso nacional, além de ter implantado o pagamento de 1/3 como hora-atividade.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions