A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 19 de Outubro de 2019

24/11/2017 15:53

Gasolina paraguaia a R$ 2,70 lota postos de Pedro Juan Caballero

Postos de Ponta Porã sofrem com concorrência; gerente diz que consumidor abastece o carro com qualquer combustível

Helio de Freitas, de Dourados
Movimento hoje em posto de combustíveis em Pedro Juan Caballero (Lucimar Couto)Movimento hoje em posto de combustíveis em Pedro Juan Caballero (Lucimar Couto)
Placa informa preços até 40% mais baratos que em Ponta Porã (Foto: Lucimar Couto)Placa informa preços até 40% mais baratos que em Ponta Porã (Foto: Lucimar Couto)

Combustível até 40% mais barato no lado paraguaio está “matando” o movimento de postos de Ponta Porã, cidade a 323 km de Campo Grande, na fronteira com o Paraguai. Após a mais recente alta autorizada pela Petrobras, a gasolina comum se aproxima dos R$ 3,90 na cidade sul-mato-grossense, mas basta atravessar a imaginária Linha Internacional para encher o tanque por R$ 2,70.

Nesta sexta-feira (24), o movimento de carros era intenso no posto de combustíveis ao lado do Fortis Atacadista, a maioria com placa brasileira. Além da gasolina “econômica aditivada” por R$ 2,70, o posto vende álcool por R$ 2,52, gasolina especial aditivada por R$ 3,30 e diesel por R$ 2,73.

Até 40% mais cara – Em um posto localizado na Avenida Brasil, em Ponta Porã, a gasolina comum é vendida por R$ 3,89, o etanol por R$ 3,09 e o diesel comum por R$ 3,59. A maior diferença é na gasolina, que chega a 40%. No álcool gira em torno de 25% e o diesel brasileiro é 30% mais caro que no lado paraguaio.

Enquanto em Ponta Porã são necessários R$ 210 para encher um tanque de 54 litros – tamanho do tanque da maioria dos carros populares da atualidade – em Pedro Juan Caballero o consumidor desembolsa R$ 145 para um abastecimento total.

O gerente de um posto no centro de Ponta Porã disse hoje ao Campo Grande News que após a mais recente alta o movimento nos estabelecimentos do lado brasileiro despencou.

“Esse mês de novembro tem sido terrível para nós. Até moradores de cidades da região, como Dourados, vêm aos shoppings no Paraguai e aproveitam para encher o tanque”. Em Dourados, a gasolina comum custa em média R$ 4,23, segundo o Procon.

Sem qualidade – Entretanto, o gerente afirma que os consumidores não levam em conta a baixa qualidade dos combustíveis vendidos no Paraguai. “Não tem nenhum controle de qualidade”.

Segundo o gerente, que pediu para não ter o nome divulgado, o grande problema é a “gasolina econômica”, a pior de todas, afirmou. “Os combustíveis comuns e aditivados deles chegam a ser até mais caros que os nossos. A mídia toda fala da vantagem de abastecer do outro lado, mas ninguém fala que só essa gasolina econômica, que é a pior de todas, é de fato mais barata”.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions