ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 15º

Interior

Governo cede, afasta chefe local e índios deixam Polo Base depois de 8 dias

Entretanto, servidora foi mantida no comando da Casai, contrariando manifestantes

Por Helio de Freitas, de Dourados | 11/05/2021 16:26
Índios em frente ao Polo Base do Dsei em Dourados, desocupado hoje (Foto: Direto das Ruas)
Índios em frente ao Polo Base do Dsei em Dourados, desocupado hoje (Foto: Direto das Ruas)

Depois de oito dias de ocupação, lideranças indígena deixaram nesta terça-feira (11) a sede do Polo Base do Dsei (Distrito Sanitário Especial Indígena) em Dourados, a 233 km de Campo Grande.

O protesto foi encerrado após a coordenação estadual do distrito afastar da chefia local a servidora Sidneide Alves Boa Sorte, acusada pelos índios de perseguir trabalhadores e promover sucateamento da estrutura da saúde indígena nas aldeias de Dourados, Maracaju e Douradina.

O afastamento foi confirmado ontem pelo coordenador do Dsei em Mato Grosso do Sul Joe Saccenti Junior. O substituto de Sidneide ainda não foi definido. Ela é servidora concursada.

Entretanto, a reivindicação dos índios foi atendida apenas parcialmente, já que Sidneide continua no comando da Casai (Casa de Saúde Indígena), espécie de hotel de trânsito onde ficam índios de aldeias da região quando precisam de atendimento médico em Dourados.

Segundo líderes do movimento, o comando da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) – ligada ao Ministério da Saúde – alegou ter entendido que o protesto era para tirar Sidneide apenas do comando do Polo Base.

“Queremos ela foram também da Casai. Vamos esperar até sexta-feira [14] para o afastamento. Caso contrário, vamos retomar os protestos”, afirmou um dos líderes do movimento.

Nos oito dias em que estiveram no Polo Base localizado na Avenida Joaquim Teixeira Alves, os índios denunciaram o “cemitério” de carros no pátio do órgão, entre os quais duas unidades móveis de saúde bucal seminovas. Também denunciaram sumiço de doses da vacina contra covid-19 destinadas às aldeias e atraso na vacinação contra a influenza.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário