ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  01    CAMPO GRANDE 28º

Interior

Multidão protesta na casa de mulher que proibiu paraguaios de falar em guarani

Rolos de papel higiênico foram tacados no quintal da fazendeira brasileira

Por Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 01/03/2021 21:45


Protesto em frente à casa da fazendeira brasileira Janice Neukamp Haverroth, reuniu uma multidão de pessoas na tarde desta segunda-feira (01) em Curuguaty, cidade na região de Paranhos, a 469 quilômetros de Campo Grande.

A fazendeira gerou revolta no município depois que um áudio em que ela proibi os empregados de conversarem em guarani, um dos dois idiomas oficiais do país vizinho, viralizou nas redes sociais.

Vídeo do local, mostra dezenas de pessoas em frente à mansão da produtora rural. Rolos de papel higiênico foram tacados no quintal e sobre os vidrais em frente da casa. Frases também foram escritas na calçada da casa da fazendeira. A mobilização também ganhou cobertura da imprensa local.

Polêmica - O áudio foi direcionado aos funcionários da fazenda Luz Bella, no Departamento de San Pedro. “A partir de hoje está proibido falar em guarani na fazenda. Vocês estão escutando? Proibido. Só vamos falar em português e espanhol, que são os idiomas aqui no Paraguai”, afirma a brasileira.

Ela também teria falado que os empregados dispostos a não seguir a ordem poderiam passar no escritório e pedir demissão. A Secretaria de Políticas Linguísticas do Paraguai repudiou a medida tomada pela fazendeira brasileira. O órgão governamental também se colocou à disposição dos funcionários e pediu para que denunciem a patroa. Janice pode ser processada, pois o guarani, assim como o castelhano (espanhol) é idioma oficial no país vizinho.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário