ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEXTA  28    CAMPO GRANDE 23º

Interior

Pecuarista mente sobre roubo de gado para não pagar acerto a capataz

Capataz trabalhava sem vínculo formal na fazenda e foi demitido sem justa causa pouco tempo depois

Por Ana Paula Chuva | 01/10/2021 14:49
Viatura da 1ª Delegacia de Aquidauana onde caso foi registrado (Foto: Polícia Civil)
Viatura da 1ª Delegacia de Aquidauana onde caso foi registrado (Foto: Polícia Civil)

Pecuarista de 55 anos, que não teve a identidade revelada, vai responder por denunciação caluniosa após mentir sobre roubo de gado para não pagar acerto trabalhista a um capataz que trabalhava na propriedade rural na região de Aquidauana, cidade a 139 quilômetros de Campo Grande.

Conforme o delegado Jackson Vale, responsável pelo caso, no dia 20 de setembro, o pecuarista procurou a 1ª Delegacia de Aquidauana e disse ter sido vítima de crime de abigeato.

Na ocasião, o homem chegou a dizer aos policiais que o capataz teria abatido um de seus gados, depois dividiu em partes e tirou da fazenda sem autorização. Ele ainda afirmou que o crime teria sido filmado por outro funcionário da propriedade.

Após a denúncia, a Polícia Civil deu início às investigações e intimou o capataz acusado do crime. Em depoimento, ele contou que o abate do animal foi ordenado pelo próprio patrão que também determinou o corte para ser vendido aos trabalhadores do local.

Os policiais comprovaram os fatos, inclusive que a filmagem teria sido feita justamente para incriminar o capataz que trabalhava no local sem vínculo formal e que afirmou ter sido demitido sem justa causa recentemente.

O pecuarista foi novamente ouvido na delegacia e a princípio manteve a versão inicial do suposto furto, porém foi informado sobre a descoberta de falsa comunicação de crime e se manteve em silêncio.  Ele foi indiciado por denunciação caluniosa nesta sexta-feira (1°), crime com pena de 2 a 8 anos de prisão mais multa.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário