ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 18º

Interior

Polícia desmonta laboratório de refino de cocaína na fronteira

Casa em Pedro Juan Caballero servia de ponto para refino da pasta-base trazida da Bolívia

Por Helio de Freitas, de Dourados | 28/09/2020 15:57
Agente da Senad separa pacotes de cocaína em laboratório (Foto: Divulgação/Senad)
Agente da Senad separa pacotes de cocaína em laboratório (Foto: Divulgação/Senad)

Os paraguaios Cristino Irigoye Cáceres, 42, e Lidia Irala Cabral, 53, foram presos pela Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) em um laboratório de refino de cocaína em Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande.

Na casa localizada no bairro Maria Victória, a pasta-base, trazida provavelmente da Bolívia, era refinada com uso de produtos químicos e embalada em papelotes.

Veja o vídeo:

O ponto de partida para a descoberta do laboratório foi operação da Senad no dia 22 deste mês no Departamento (equivalente a Estado) Central, onde um brasileiro foi preso vendendo cocaína em pequenas doses.

A prisão dele levou os agentes até os dois paraguaios localizados nesta segunda-feira (28) na fronteira com Mato Grosso do Sul. Segundo a Senad, a conexão entre os traficantes de Central e Amambay incluía o refino da cocaína em Pedro Juan Caballero e posterior enviou dos papelotes, para venda no varejo.

Solventes e outros produtos químicos usados no refino da droga foram aprendidos nas duas casas em que os agentes da Senad fizeram buscas hoje. Segundo a agência, o resultado da operação representa impacto importante para o microtráfico de cocaína naquele país.

Foram apreendidos um pacote com 1,5 quilo de cocaína e 3,1 quilos fracionados em 6.862 papelotes. O laboratório também tinha prensa hidráulica, dois tambores com produtos químicos, vários frascos com substâncias líquidas não identificada e fitas usadas para embalar a droga.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário