ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 10º

Interior

Polícia liga morte de comerciante na fronteira à dupla execução do dia 17

Justino Suárez teria escondido grupo que provocou briga com duas mortes na rua

Por Helio de Freitas, de Dourados | 22/03/2021 08:22
O paraguaio Justino Marin Suárez, morto a tiros no sábado (Foto: Reprodução)
O paraguaio Justino Marin Suárez, morto a tiros no sábado (Foto: Reprodução)

A polícia paraguaia e o Ministério Público do país vizinho suspeitam que o assassinato do comerciante Justino Marin Suárez, 44, na noite de sábado (20) em Capitán Bado, tenha ligação com duas execuções ocorridas na madrugada de quarta-feira (17), também ocorridas na cidade vizinha de Coronel Sapucaia (MS), a 400 km de Campo Grande.

Ao jornal ABC Color, o promotor de Justiça Leonardo Cáceres disse que Justino teria dado abrigo aos envolvidos em uma das mortes, ocorridas no bairro Primavera. As vítimas daquele dia foram Édgar Roberto Céspedes Amarilla, 35, e Cayetano Caballero Pavon, 23.

Ao contrário do que se acreditava na semana passada, as vítimas não estavam juntas e foram mortas por uma briga iniciada devido ao som alto na madrugada.

O grupo bebia e ouvia música em frente à casa de Édgar Amarilla. O morador teria saído na rua com uma escopeta na mão para expulsar os desconhecidos, mas foi morto a tiros de pistola 9 milímetros. Os bandidos ainda levaram a arma dele, dinheiro e celular.

Cayetano Caballero Pavon estava no grupo que matou o morador revoltado com a bagunça e teria sido assassinado por um parente de Édgar Amarilla que também estava na casa onde ocorreu o primeiro tiroteio. O rapaz levou tiros de fuzil calibre 5.56 e morreu no meio da rua.

Dono de um bar no mesmo bairro, Justino Marin Suárez teria dado abrigo aos demais integrantes do grupo de Cayetano Pavon. A informação chegou a pessoas ligadas a Édgar Amarilla, agora os principais suspeitos pelo ataque contra o comerciante na noite de sábado.

Dividindo com Pedro Juan Caballero (capital de Amambay) o posto de cidade mais violenta da fronteira, Capitán Bado foi palco de outros dois assassinatos no fim de semana.

No sábado à tarde, Sabino Alfonso Gonzales, 26, foi executado a tiros e a namorada dele ficou ferida na Colônia Piray. Ontem à noite, Flavio Villa Alta Colman, 38, foi morto a tiros de pistola calibre 9 milímetros por dois homens de moto quando seguia de carro pelo centro da cidade.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário