A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

25/02/2019 12:27

Prefeitura de Ladário informa que prisões não atingem equipe atual

Em nota, prefeito Iranil Soares reforçou que investigação do Gaeco refere-se a fatos ocorridos em 2017, na administração de Carlos Anibal Ruso Pedros

Silvia Frias
Prefeito afastado Carlos Ruso e Andressa Paraquett (Foto: Jornal Pérola News)Prefeito afastado Carlos Ruso e Andressa Paraquett (Foto: Jornal Pérola News)

A prefeitura de Ladário divulgou nota informando que nenhum membro da equipe da atual gestão foi preso na Operação Terra Branca II, do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), deflagrada hoje.

Em nota, a prefeitura reforça que os fatos apurados pelo Gaeco – dispensa ilegal de licitação, fraude em processos seletivos e contratos superfaturados – ocorreram na gestão anterior, de Carlos Anibal Ruso Pedroso.

“Não vamos interferir no trabalho do Gaeco. Apenas vamos atender aos pedidos que forem feitos e entregar a documentação solicitada”,disse, em nota o atual prefeito, Iranil Soares.

De acordo com a prefeitura, os policiais do Gaeco recolheram documentos na Secretaria Municipal de Assistência Social e no Recursos Humanos.

Segundo o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), foram cumpridos quatro mandados de prisão e 14 de busca e apreensão para apurar irregularidades que teriam sido cometidas em 2017. A fraude teria como objetivo de saldar dívidas da campanha eleitoral para a eleição municipal ocorrida em 2016.

Após o esquema, foi ampliada para propiciar a continuidade dos desvios em favor dos gestores da Secretaria de Assistência Social”, completa a nota enviada pelo MPMS.

Não há cálculo, por enquanto, dos prejuízos aos cofres de Ladário. O Gaeco também não divulgou os nomes dos beneficiários do esquema.

Prisão e buscas – A “ex-supersecretária” Andressa dos Anjos Paraquett foi presa pela Operação Terra Branca 2 nesta manhã. Ela ocupou os cargos de secretária de Assistência Social e Administração na gestão de Carlos Ruso (PSDB), preso e afastado no ano passado. Andressa também estava afastada e morando no Rio, conforme apurou o Diário Corumbaense.

Os nomes das outras três pessoas que também tiveram mandado de prisão expedido por força da operação, ainda não foram divulgados.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions