A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 17 de Agosto de 2019

13/08/2019 09:58

Professores aproveitam greve nacional para protestar contra prefeitura

Manifestação é contra reforma da Previdência e cortes na educação, mas serve também para reclamar do atraso do salário de julho

Helio de Freitas, de Dourados
Professores de Dourados em passeata nesta manhã na Avenida Marcelino Pires (Foto: Gracindo Ramos/Divulgação)Professores de Dourados em passeata nesta manhã na Avenida Marcelino Pires (Foto: Gracindo Ramos/Divulgação)

Em greve nacional de um dia contra a reforma da Previdência e os cortes de verbas da educação, professores municipais de Dourados, a 233 km de Campo Grande, aproveitam o ato desta terça-feira (13) para protestar contra o atraso nos salários de julho. Eles também protestam contra o corte, por parte do governo do Estado, no salário de professores contratados.

Apoiados por universitários da Uems e da UFGD, os educadores e sindicalistas se concentraram no calçadão da Praça Antônio João e depois saíram em passeata pelas avenidas Joaquim Teixeira Alves e Marcelino Pires.

“A prefeita que não tem projeto para a cidade está deixando os servidores sem salário. Recebendo só 44% do salário, os servidores não têm condição nem de ir trabalhar porque não conseguem pagar o transporte. Essa é a realidade de Dourados, onde a prefeitura adota a política da irresponsabilidade”, afirmou ao vice-presidente do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) Gleice Jane Barbosa.

Assim como todos os seis mil servidores da prefeitura, os professores e administrativos da educação receberam só 44% do salário de julho. A prefeitura ainda não informou quando o restante será pago.

Amanhã, os profissionais da educação iniciam greve parcial, paralisando 56% das aulas e dos serviços administrativos. O percentual é referência ao valor do salário em atraso.

Na noite de ontem (12), os educadores foram até a sessão da Câmara de Vereadores e gritaram “fora Délia”, em protesto contra a prefeita Délia Razuk (sem partido). O presidente do sindicato da categoria, Juliano Mazzini, usou a tribuna livre. Ele disse que a administração municipal está “à deriva”.

Demais servidores também decidiram ontem fazer greve de um dia na sexta-feira (16), se a prefeitura não pagar o restante do salário. A promessa da administração para o sindicato do funcionalismo é liberar o dinheiro ainda nesta semana.

Manifestantes concentrados no calçadão da Praça Antônio João, em Dourados, nesta manhã (Foto: Gracindo Ramos/Divulgação)Manifestantes concentrados no calçadão da Praça Antônio João, em Dourados, nesta manhã (Foto: Gracindo Ramos/Divulgação)
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions