A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

03/02/2016 11:36

Secretaria espera exame que pode confirmar segunda morte por H1N1

Caroline Maldonado
Paciente morreu na segunda-feira (1º) no CTI do Hospital Corumbaense (Foto: Diário Corumbaense)Paciente morreu na segunda-feira (1º) no CTI do Hospital Corumbaense (Foto: Diário Corumbaense)

Na segunda-feira (1º), um homem de 37 anos morreu com suspeita de Gripe A (H1N1), em Corumbá, a 419 quilômetros de Campo Grande. A Secretaria de Saúde do município espera resultado de exame para saber se esse é o segundo caso de morte pela doença, em 2016. No dia 18 de janeiro, o policial militar aposentado Ismar Mosciaro Gomes, 53 anos, morreu com H1N1.

Oderlei Ribeiro dos Santos faleceu no início desta semana no CTI (Centro de Tratamento Intensivo) do Hospital Corumbaense. Segundo o jornal Diário Corumbaense, o homem procurou atendimento no pronto-socorro e na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Bairro Guató, mas foi medicado e liberado. O estado de saúde de Oderlei piorou e ele foi internado no domingo (31).

Boletim divulgado ontem (2) pela SED (Secretaria de Estado de Saúde) revela que há 15 pessoas em MS internadas ou notificadas com suspeita de H1N1, H3N3 ou Influenza B. Dessas, 14 estão em Corumbá e uma em Campo Grande.

Outro levantamento, divulgado pela Secretaria de Saúde de Corumbá mostra que 10 pessoas com suspeita da doença estão em tratamento, porém material não foi coletado para exame por estar fora do prazo de sete dias. Um paciente está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva); um recebe tratamento na clínica particular Samec; um no hospital da Marinha, em Ladário, e dois no pronto-socorro, em observação.

Mortes - Em 2015, sete pessoas morreram em decorrência da Gripe A, em Mato Grosso do Sul. Em 2014, o número foi ainda maior, foram 29 vítimas.

Os principais sintomas da H1N1 são febre alta repentina, acima de 38 graus; tosse; dor de cabeça; dores no corpo e nas articulações; além de falta de ar. Os sintomas surgem em até dez dias após a pessoa ter contraído o vírus da Influenza A.

Servidor federal morre em Campo Grande sob suspeita de gripe H1N1
Faleceu na noite de ontem o dentista Eduardo Yanagawa, funcionário público ligado a Funai. Parentes disseram que há alguns dias ele havia sido intern...
Mobilização contra H1N1 é promovida neste sábado na Capital
Será realizada pela Caams (Caixa de Assistência dos Advogados de Mato Grosso do Sul), neste sábado, dia 19 de julho, das 8h às 12h, uma mobilização p...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions