ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  23    CAMPO GRANDE 30º

Interior

Sem máscara, pastor reúne fiéis em dia com 2,7 mil mortes por covid

Culto teria terminado às 20h45, descumprindo a determinação do toque de recolher válido em todo MS

Por Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 16/03/2021 22:57
Aglomeração de fieis durante o culto realizado na noite desta terça-feira. (Foto: Direto das Ruas)
Aglomeração de fieis durante o culto realizado na noite desta terça-feira. (Foto: Direto das Ruas)

Terça-feira, dia 16 de março. No mesmo dia em que o Brasil, Mato Grosso do Sul e a Capital do Estado registraram números recordes de mortes por covid-19, o pastor e vereador, Mauro Ortiz Neves (PSDB), reuniu uma multidão de fiéis em culto, durante à noite, em Ponta Porã, cidade que fica a 323 quilômetros de Campo Grande.

Com início às 18h a celebração fez parte da campanha “O que Deus Escreve Ninguém Apaga” e só terminou por volta das 20h45, segundo testemunhas, excedendo o horário do toque de recolher a partir das 20h em todo o Mato Grosso do Sul. As irregularidades foram denunciadas ao site Ponta Porã News.

Conforme o portal, a lotação do local podia ser notada do lado de fora da igreja onde ocorreu a celebração. Haviam muitos carros em frente à igreja Nova Redenção da Fé, alguns até em cima do canteiro central da Avenida Brasil, no Centro da cidade. 

Foto do culto realizado pelo pastor em fevereiro. (Foto: Direto das Ruas)
Foto do culto realizado pelo pastor em fevereiro. (Foto: Direto das Ruas)

Imagens feitas durante o culto também mostram que os fiéis não respeitaram o distanciamento recomendado. O flagrante também revela que o pastor comandou o culto sem o uso de máscara de proteção. Ao site local, Mauro negou que a celebração terminou fora do horário estipulado, e disse que estava evitando atender aos fiéis para não desrespeitar a lei.

“Eu disse que não iria orar, mas algumas pessoas acabam ficando. Estamos aumentando o número de cultos diários para evitar que muitas pessoas venham ao mesmo tempo”, respondeu. A igreja tem espaço para 700 pessoas, mas nesta terça-feira o culto teria recebido entorno de 70 fieis, ainda segundo o vereador.

Em fevereiro, Mauro também foi denunciado por realizar cultos com a igreja lotada durante a pandemia. Na época ele disse que a superlotação era porque muitas pessoas estavam em "busca de milagres" e que a igreja é um lugar de refúgio dos fieis.

Até esta última segunda-feira (15), Ponta Porã perdeu 101 vidas para a covid-19 e 13.427 pessoas haviam sido contaminadas pela doença.

Recordes da pandemia - A terça-feira marcou um dos dias mais trágicos do país, desde o início da pandemia, em março de 2020. O número de mortes decorrentes da covid-19 no Brasil chegou a 2.798 nas últimas 24 horas. A quantidade equivale a 116 óbitos a cada hora no País. No total, já são 282.400 vítimas do novo coronavírus.

Já na Capital, mais 18 mortes foram confirmadas pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde). As vítimas morreram entre os dias 04 e 15 de março, sofriam de comorbidades e tinham entre 37 e 84 anos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário